“Estão decretando a falência dos estabelecimentos”

Novo horário

“Estão decretando a falência dos estabelecimentos”

Governo de Lajeado suspende funcionamento das lojas neste fim de semana e antecipa horário para o fim das atividades em estabelecimentos de alimentação. Medidas passam a valer a partir desta quinta-feira. Entidades criticam restrições do novo decreto

Por

“Estão decretando a falência dos estabelecimentos”
(Foto: Arquivo A Hora)
Lajeado
Imec - Lateral vertical - Final vertical

Com o agravamento da pandemia no município, que registrou na quarta-feira, 24, novo recorde de casos ativos, o governo de Lajeado endurece medidas para conter o avanço da doença. As principais decisões são a suspensão das atividades do comércio e serviços não essenciais no final de semana e a antecipação do horário de fechamento de estabelecimentos de alimentação a partir desta quinta-feira, 25.

As novas restrições foram tomadas a partir de encontros que reuniram representantes da administração municipal, Hospital Bruno Born (HBB), Univates e Unimed. Após a reunião, o prefeito Marcelo Caumo também se encontrou com representantes do Fórum das Entidades para apresentar as propostas.

“Estão decretando a falência dos estabelecimentos”

O Sindicato Patronal de Hotéis, Motéis, Restaurantes e Bares do Vale do Taquari (Sindavat) é contra as medidas estabelecidas no novo decreto. O vice-presidente da entidade, Paulo Scholler, defende que o setor se adequou às solicitações da administração que vêm sendo realizadas desde o início da pandemia, há quase um ano.

“É inaceitável. O fechamento às 20h já não era bom pra gente. E agora precisamos fechar às 18h. Estão decretando a falência dos estabelecimentos”.

Scholler ainda explica que os bares e restaurantes vinham operando com faturamento de cerca de 50%, se comparados os valores com o que era antes da pandemia. Com as novas restrições, o faturamento deve ficar entre 20% e 30%.

O Sindicato ainda se posiciona a favor de fechar todo o comércio para uma total paralisação e controle efetivo da Covid.

“Não concordamos que apenas alguns setores sejam prejudicados. Temos funcionários e famílias por trás dos nossos estabelecimentos. Se é pra ter um controle de fato, que fechem tudo por 14 dias. Eu tenho uma empresa, gero empregos e pago impostos. Se existe preocupação com saúde, o governo tem que ter bom senso e partir para um plano de ação mais agressivo”, sugere.

“O comércio não propaga o vírus”

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Lajeado também se posiciona contra as alterações no regramento. A entidade avalia que o comércio não é responsável pela propagação do vírus, porém irá acatar as novas medidas.

“Sabemos que esse é um momento crítico, que inspira muito cuidado. Mas dentro dos estabelecimentos estamos cumprindo rigorosamente todos os requisitos e regramentos. Estamos seguros dentro dos estabelecimentos. É um local que não gera aglomeração”, comenta Mallmann.

Uso de máscara, disponibilização de álcool gel e cuidado com o distanciamento, além de equipes estarem trabalhando com 25% do total de funcionários. Mallmann também destaca o cumprimento desses protocolos.

“Trabalhamos por dez meses direto no meio dessa pandemia, convivendo diariamente com o vírus. E nesse período não tivemos nenhum pico, estava tudo controlado. Os picos aconteceram logo depois dos feriados, como final de ano e carnaval”, finaliza.

Fiscalização

Mais rigor na fiscalização do cumprimento dos decretos. Essa é uma das solicitações realizadas pelas entidades. O secretário de Segurança Pública, Paulo Locatelli, afirma que equipes integradas estarão nas ruas já a partir desta quinta-feira.

Posto de Saúde do Centro

O Posto de Saúde do Centro, que é referência para atendimento de casos de pacientes com sintomas respiratórios e Covid-19, funcionará excepcionalmente neste fim de semana para atendimento exclusivo de casos leves suspeitos ou confirmados da doença.
Data e horário: sábado e domingo, das 10h às 16h

“Fiscais das secretarias de segurança, planejamento e saúde, agentes do departamento de trânsito, além de policiais da Polícia Civil e Brigada Militar vão atuar de maneira conjunta. Assim conseguimos entregar para a comunidade um serviço eficiente e integrado. Vamos seguir trabalhando juntos para que se cumpra o distanciamento social e para que as leis sejam cumpridas”, comenta Locatelli.

Entenda as novas regras

Restaurantes, bares, lancherias, food trucks e afins
atendimento presencial até as 18h
– tele-entrega ou take away das 18h às 23h
– fechamento completo às 23h
Comércio e serviços não essenciais:
– suspensão das atividades das 20h de sexta-feira até as 5h da próxima segunda-feira, 1º

LEIA MAIS

Vale recebe 7.520 novas doses de vacina nesta quinta-feira

“Não precisa de lockdown se a fiscalização for efetiva”

HBB altera local de entrada da emergência respiratória

Vídeo: “Estamos no momento mais crítico de atendimento no HBB”