De volta aos treinos

Saúde

De volta aos treinos

Retomada às atividades físicas pode ser um desafio para algumas pessoas, após as férias. Mas especialista afirma que desconforto é normal, independente do nível de condicionamento físico.

Por

Atualizado sábado,
20 de Fevereiro de 2021 às 12:06

De volta aos treinos
Imec - Lateral vertical - Final vertical

O mês de fevereiro está terminando e com ele as férias também chegam ao fim. É hora de retomar à rotina, voltar ao trabalho, aos estudos e, claro, aos treinos. Independente do nível de condicionamento físico e tempo de prática, após algumas semanas sem treinar o corpo já sente a diferença e as atividades que costumavam ser fáceis tornam-se mais desafiadoras.

Segundo a profissional de educação física do Sesc Lajeado, Jaqueline Araújo, após um período sem treinar, o corpo se adapta a “inatividade”, o que acarreta em perdas significativas da força, flexibilidade e resistência aeróbica.

“Precisamos ter a consciência de que devemos ir com calma e pegar um pouco mais leve no retorno às atividades. Desta forma não sobrecarregamos as articulações, ligamentos e tendões, e permite-se que o corpo, aos poucos, vá se readaptando aos estímulos”, explica.

Outro ponto importante, é reservar um tempo para o sono e para se reorganizar. “Quanto antes conseguirmos nos planejar e retomar os treinos, menores serão os prejuízos e mais rápido recuperamos a forma física e os benefícios para a saúde e a qualidade de vida”, destaca Jaqueline.

Adepta da musculação, a professora Leda Fronchetti Johann, 62, conta que estava ansiosa para voltar aos treinos após 40 dias sem frequentar a academia. “Malho no Sesc há cinco anos. Praticar exercícios me faz sentir muito mais disposta para encarar a rotina de trabalho, casa, filhos e netos”, conta.

Nos primeiros treinos pós-férias, a professora revela que sentiu algumas dificuldades para executar os exercícios, mas, com a orientação e auxílio dos profissionais, retomou a sua rotina de treinos. “Faço da academia um compromisso e só não compareço por algum motivo profissional ou particular bem sério”.

A exemplo de Leda, Jaqueline reafirma que ter o acompanhamento de um profissional de educação física é fundamental para qualquer prática, principalmente após uma pausa, pois ele avaliará a situação de cada aluno, individualmente.

“Será analisado o nível de condicionamento anterior e a melhor estratégia a ser utilizada para prescrever a intensidade dos treinos, seja reduzindo as cargas, séries ou número de repetições, por exemplo”, salienta a educadora.

Além da musculação, Leda também realiza caminhadas com o objetivo de manter o peso, aumentar massa muscular e se manter ativa por muito tempo.

 

Importância dos alongamentos

Devido à diminuição no nível de atividades físicas durante as férias, a musculatura fica mais encurtada, enquanto os tendões e ligamentos mais rígidos. Por isso, os alongamentos são muito importantes para quem pratica atividade física.

Além de complementarem a rotina e exercícios, principalmente após a sessão de treino com o objetivo de distensionar, eles podem e devem ser realizados durante outros momentos do dia, como forma de relaxamento.

 

Exercícios X balança

Para quem exagerou na comilança durante as férias, Jaqueline chama a atenção para os exercícios em excesso a fim de recuperar o peso, pois eles podem ocasionar lesões. É extremamente importante readaptar o cardápio para a volta aos treinos.

“A alimentação adequada aliada à rotina de exercícios físicos estão intimamente ligados ao sucesso dos resultados esperados, sejam eles de performance ou qualidade de vida”, afirma a educadora. O ideal é procurar um nutricionista para obter um plano alimentar focado em cada objetivo individual.

A alimentação desequilibrada e o excesso de peso proveniente do aumenta da gordura corporal podem ocasionar hipertensão arterial, diabetes tipo 2, doenças cardíacas, derrame entre outras complicações associadas. Por isso, fazer um acompanhamento médico periódico também é importante.

Independente da prática física, Jaqueline afirma que é preciso respeitar o próprio corpo e seus limites. Evoluir de forma gradativa nos treinos é o mais indicado.