A força da vulnerabilidade

opinião

Amanda Cantú

Amanda Cantú

Jornalista

Colunista do caderno Você

A força da vulnerabilidade

Por

Abrace a sua vulnerabilidade.

Este é um dos maiores gestos de autocuidado que você pode ter.

Tenho o hábito de, a cada início de ano, fazer uma lista de objetivos. Eles vão desde metas profissionais, até as tradicionais promessas de praticar mais exercícios físicos, ter uma alimentação mais saudável e beber mais água. (Esse ano vai dar certo, prometo!)

Mas, também aproveito o momento para pensar as minhas emoções e estabelecer metas para cuidar da minha saúde mental. Afinal, corpo e mente andam juntos. Na busca por criar um futuro mais leve e feliz, uma das metas que incluí na lista é me permitir ser vulnerável.

Vivemos em uma sociedade que nos faz entender a vulnerabilidade como um sinônimo de fraqueza. Valorizamos muito mais quem se posiciona como “durão” e “inabalável”, do que aqueles que se permitem sentir e demonstrar. Estes são taxados como fracos.

Se você procurar a palavra vulnerabilidade no dicionário, os resultados serão expressões como “fragilidade” ou “qualidade de quem está indefeso”. Nosso erro é traduzir a vulnerabilidade ao pé da letra. Abraçar nossa vulnerabilidade exige uma coragem imensa.

Por muito tempo também fui a pessoa que associava vulnerabilidade à fragilidade. Sempre entendi minha sensibilidade como algo que me atrasava, atrapalhava ou me tornava mais frágil do que aqueles que pareciam não sentir ou não se importar.

Por isso, construí a minha máscara de pessoa inabalável e vesti. Se eu consegui sustentar? Claro que não. O esforço para tentar segurar a máscara é exaustivo e não te permite viver de forma plena e honesta consigo e com quem te rodeia.

Abraçar a vulnerabilidade, se libertar da máscara e aceitar quem somos é difícil. Quando nos permitimos estar vulneráveis, ficamos expostos ao julgamento do outro e à rejeição. Parece ruim, né? Mas, ao nos permitirmos ser vulneráveis, abraçamos nossa autenticidade, nos relacionamos com o mundo de forma mais sincera, e estamos sujeitos também a sermos acolhidos, compreendidos, aceitos e amados.

⁣Abraçar a vulnerabilidade é um caminho difícil, daqueles que exigem pequenos passos todos os dias. Apesar do medo, das dúvidas e dos traumas. ⁣Quando escolhemos ser vulneráveis, escolhemos arriscar e não nos escondermos. Exige coragem, mas é uma das atitudes mais sinceras que você poderá ter.