Secretário Estadual diz ser difícil atender pedido de Lajeado por retomada

AULAS 100% PRESENCIAIS

Secretário Estadual diz ser difícil atender pedido de Lajeado por retomada

Entrevista à Rádio A Hora 102.9, Faisal Karam falou sobre pedido do município para a retomada das aulas presenciais de forma integral. Segundo ele, seria necessário alterar os protocolos para viabilizar retorno

Por

Atualizado quarta-feira,
13 de Janeiro de 2021 às 15:55

Secretário Estadual diz ser difícil atender pedido de Lajeado por retomada
(Foto: Divulgação)
Estado

O secretário de Educação do Rio Grande do Sul, Faisal Karam, participou na manhã desta quarta-feira, 12, do programa Frente e Verso, da Rádio A Hora 102.9. Entre os assuntos debatidos, falou sobre o pedido de Lajeado para a retomada integral das aulas presenciais na rede municipal e particular de ensino.

Segundo ele, só seria possível aumentar a capacidade dos alunos em sala de aula para mais de 50% com a mudança dos protocolos de segurança elaborados pelas coordenadorias regionais de educação, Ministério Público e outros órgãos.

A pauta, segundo Karam, deverá ser debatida na tarde desta quarta, 13, quando ocorre reunião entre membros do governo e demais órgãos. “Não vejo como voltar com 60% ou 70% da capacidade se não houver alteração dos protocolos e balizamento do setor responsável. Se a Secretaria da Saúde nos balizar dizendo que é possível, não sou impeditivo para isso, mas precisamos construir a volta.”

“Mudar esses protocolos não é tão simples assim porque na outra ponta tem o professor”, ressalta. O profissional também precisa, conforme o secretário, ser levado em conta e avaliado se sente confortável para trabalhar com a capacidade máxima.

Ainda assim, reforçou a importância de preparar a retomada plena da presencialidade. “O Conselho Nacional de Psicologia diz que é preciso voltar com as aulas porque as crianças estão com dificuldades emocionais, além do aumento no índice de violência nessa faixa etária, mulheres e pessoas da terceira idade”, pondera Karam.

Evasão escolar

Em meio à pandemia, uma das principais preocupação do setor educacional é reduzir os índices de evasão escolar. Conforme Karam, a orientação é que as escolas realizem um mapeamento dos alunos que deixaram de entregar atividades durante a pandemia.

“Nós sabemos de um levantamento inicial que 75% da nossa rede teve alguma forma de atendimento, mas não conseguimos identificar o nível de atividades e aprendizagem que chegou. Cabe a direção escolar fazer a busca por esse aluno que está dentro dos 25%”, explica.

Esse aluno que não teve acesso aos materiais do ano letivo, por exemplo, terá a possibilidade de fazer um processo de recuperação no ano de 2021.