Câmara protela decisão sobre parklets

Legislativo Municipal

Câmara protela decisão sobre parklets

Projeto era o único na ordem do dia, mas teve pedido de vistas. Sessão teve ainda homenagem a ex-vereadores mortos recentemente

Por

Câmara protela decisão sobre parklets
Nenhum projeto foi votado na sessão desta noite. Foto: Divulgação
Lajeado

O único projeto de lei apto a votação na ordem do dia era o que regulamenta a criação de parklets. A matéria teve pedido de vistas apresentado pelo vereador Lorival Silveira (PP) e deve voltar à pauta na próxima sessão.
A proposta de autoria da vereadora Ana Rita de Azambuja (MDB) trouxe novamente à câmara o debate sobre os espaços de convivência.

Em 2019, projeto semelhante apresentado pelo governo foi derrotado no plenário com oito votos contrários.

Homenagem a dois ex-vereadores

No início da sessão, os vereadores prestaram homenagem a dois ex-vereadores que faleceram recentemente
O médico Nelson Gaspar da Motta morreu no dia 6 de janeiro, aos 79 anos. Ele estava internado no Hospital Bruno Born (HBB), de Lajeado, e lutava contra a covid-19 desde novembro de 2020. Motta foi vereador de Lajeado por três mandatos, entre 1989 e 2004.

O advogado Wilson Haussen Jacques morreu no dia 30 de dezembro no Hospital Bruno Born (HBB). Ele ocupou diversos cargos na Subseção Lajeado da OAB, sendo presidente de 1983 a 1985. Na política, foi vice-prefeito de Lajeado, entre 1977 e 1983, na gestão de Darci José Corbellini, e vereador por dois mandatos entre 1969 e 1977.

Área para Fundef

Marcos Scheffer (MDB) afirmou que Lajeado é referência nacional em cirurgia facial, em função do trabalho desenvolvido pela Fundação para a Reabilitação das Deformidades Crânio-faciais (Fundef) e pediu que o governo ceda uma área para construção de um hospital especializado.

“Nada mais justo que concedermos uma área de terra para fundef construir seu hospital. É de suma importância para a cidade.”

O presidente do Legislativo, Isidoro Fornari (PP) comentou que a prefeitura repassou uma área à Fundef e que existe o interesse de um empresário em ceder um terreno lindeiro para viabilizar a obra.