Somos Pix?

opinião

Jonas Ruckert

Jonas Ruckert

Diretor do Colégio Teutônia

Assuntos e temas do cotidiano

Somos Pix?

Por

Teutônia
CRON Previne - Lateral vertical - Final vertical

Estamos na era Pix. A chegada dessa nova modalidade de pagamentos inova na medida em que se propõe a ser um sistema de transferências monetárias eletrônicas instantâneas. A ferramenta funciona 24 horas por dia e sete dias por semana. É, sem dúvida, uma solução que vai ao encontro de demandas, necessidades e oportunidades em tempos em que palavras como reinventar, inovar e empreender tiveram seus sentidos e conceitos revisitados.

A pergunta do título foi-me feita há alguns dias, quando, em situação de pagamento, a pessoa para a qual repassaria o crédito sugeriu a transferência via Pix. Daquela situação em diante fiquei me perguntando se também somos nós Pix… Concluo que, em alguma medida, sim. Temos dificuldades de entender que uma ferramenta disponibilizada 365 dias por ano, 24 horas por dia, não tem relação com a dimensão existencial, mas operacional. Permitimos que outras coisas mais adentrem nossos cotidianos em substituição ao tempo de estudo, de leitura, de diálogo, de convivência, de organização para com os desafios pessoais, para com os projetos de vida, para com o tempo de silenciar…

Somos Pix pela nossa necessidade de fazer mais e mais, nem sempre porque queremos e nem sempre porque precisamos, mas porque organizamos nossas estruturas e condições de vida a patamares que nos exigem sermos a sociedade do resultado e tornamo-nos consequentemente a sociedade/modernidade líquida (tema de muitas obras de Zygmunt Bauman). Nessa onda acelerada, do tudo agora e, preferencialmente o tempo todo, vamos enterrando nosso equilíbrio, nossa capacidade relacional em níveis salutares e potencializando, a partir da nossa ininterrupta ação, os indicadores da Pandemia que se alastram em nosso meio em uma reta exponencial ascendente como não vivenciada em nenhum período até então.

A Cristandade vive um momento ímpar no calendário litúrgico. Estamos em tempo de Advento. Neste final de semana celebraremos o terceiro domingo, de um total de quatro, que antecedem o Natal. É um tempo oportuno para avaliar o que tivemos até aqui, para organizar o que daqui para frente possível será. A exemplo do Pix, a pandemia potencializou e inovou em muitas soluções, de todas as ordens, especialmente quando tratamos das questões voltadas à tecnologia. Foi muito bom. A nós cabe entendermos a dicotomia entre “ter as coisas a nosso serviço ou estar à serviço das coisas.” Essa é uma avaliação que precisa ser realizada com reflexão, conhecimento, parâmetros, entendimentos e conceito. Comecemos e tenhamos todos um abençoado Natal e um 2021 repleto de saúde!