O brilho do Natal continua

Comportamento

O brilho do Natal continua

Profissionais dão dicas para celebrar a data mais mágica do ano sem aglomerações

Por

O brilho do Natal continua

Muitas datas comemorativas foram ressignificadas em 2020. Aniversários, casamentos, formaturas e outras celebrações tradicionais, como a Páscoa, Dia das Mães e Dia dos Pais, foram adaptadas ao distanciamento social e festejadas de formas diferentes e muito criativas.

O Natal costuma ser um momento de reunir toda a família, mas, em 2020, esta celebração também exigirá criatividade. E não é por isso que a data mais mágica do ano perderá o brilho.

Conforme a psicóloga Jaqueline Maria Conrad Lozado, o Natal carrega um simbolismo maior do que outras datas festivas em razão do seu significado: a renovação para o ano que está por vir.

“Em 2020 teremos a oportunidade de olhar para o Natal por outra perspectiva. Dar mais valor a quem está ao nosso lado e a quem nos tornamos durante este ano”.

 

A magia nos detalhes

Apesar de não ser possível celebrar a data como de costume, pode-se preparar um momento especial com quem se divide o lar ou a rotina. O arquiteto Lucas Pedó ensina como preparar um ambiente acolhedor, para uma celebração natalina intimista, sem deixar de lado a magia e a alegria que o Natal merece.

A primeira dica do arquiteto é, antes de tudo, escolher um espaço de convivência acolhedor para concentrar a celebração, como a sala de estar ou jantar.

Conforme Pedó, a decoração também tem papel fundamental na criação do espaço de acolhimento. As cores, por exemplo, influenciam nas sensações que o ambiente desperta. Tons fortes transmitem animação, enquanto que os mais claros passam sensação de calmaria.

“Sempre apostei no vermelho e dourado para a decoração natalina, que remete bastante ao que vemos nos filmes, por exemplo. O vermelho aquece e o dourado, como aparece mais nesta época do ano, não enjoa”.

A iluminação é outra grande aliada na construção de ambientes acolhedores, indica o arquiteto. Além do ponto de luz central, uma luz secundária, como uma luminária lateral ou a iluminação embutida nos móveis, deixa o espaço mais aconchegante.

“O grande truque é utilizar duas tonalidades de luz: a branca para uma iluminação geral, que nos deixa atentos; e uma iluminação morna em locais pontuais. A luz morna acalma e descansa a mente”.

As plantas também ganham espaço na decoração natalina. Além de purificarem o ar, agregam vida ao ambiente. Algumas espécies são próprias para espaços internos, como a Zamioculca. Também pode-se apostar em arranjos temáticos com a Poinsétia, conhecida como flor do Natal, indica Pedó.

Assim como as plantas, materiais naturais, como madeira, linho, bambu, pedras naturais e fontes, são aliados para despertar sensação de conforto e relaxamento.

Objetos decorativos tradicionais, como pisca-piscas, Papais Noeis e bonecos de neve, preenchem os espaços e contribuem para despertar o clima natalino.

Além deles, a dica do arquiteto é não esquecer de acrescentar na decoração peças que possuam memórias afetivas. “São lembranças que, combinadas com o restante da decoração, deixam o ambiente único”.

 

Bate-Papo, com Jaqueline Conrad Lozado

A Hora – Em 2020, não será possível reunir muitas pessoas para celebrar o Natal e a chegada do próximo ano. Como essa mudança, em duas datas tão queridas e tradicionais, impacta no psicológico?

Jaqueline – Qualquer mudança que o ser humano precise enfrentar gera um sentimento de perda, ainda mais quando é algo não desejado. Os impactos dessas mudanças são únicos para casa um. Se eles afetam de alguma forma o psicológico das pessoas, dependerá dos recursos internos que cada um já desenvolveu ou irá desenvolver para lidar com essa nova situação. As mudanças no Natal e no Ano Novo podem, sim, gerar desconforto nas pessoas e afetar principalmente quem já está lidando algum tipo de adoecimento emocional.

 

Como celebrar estas datas de um jeito diferente, sem perder o significado especial?

Cada data é importante pelo valor que depositamos sobre ela. Neste ano teremos a oportunidade de olhar para essas datas sob outra perspectiva. Para isso, será necessário fugir das correrias e preocupações com presentes materiais, e aproveitamos que as festas serão mais íntimas para desfrutar cada momento com quem estiver por perto.

Podemos por exemplo, cozinhar e preparar a ceia juntos, ou então confeccionar os próprios presentes e cartões para os familiares. Para os pais, é uma oportunidade incrível de trabalhar com os filhos sentimentos de empatia, generosidade e gratidão.

 

Depois do impacto deste ano, como receber 2021 com esperança, mas sem criar expectativas fantasiosas?

O ano de 2020 pegou todos de surpresa, mexeu com todos os mais variados aspectos das nossas vidas, sejam eles financeiros, rotina, organização das famílias, saúde física e emocional. Trouxe para a realidade aquilo que já sabíamos, mas não queríamos aceitar: não podemos controlar muitas das situações a nossa volta.

Durante esse ano nos sentimos diversas vezes convocados a refletir sobre nossas relações, nossos valores e, com certeza, esses foram os grandes aprendizados que 2020 nos proporcionou.

Precisamos ter o cuidado para não romantizar uma pandemia que tem levado milhares de pessoas à morte, além de tantas pessoas gravemente afetadas, que estão lidando com perdas simbólicas das mais diversas: como trabalho, mudanças ou ruptura de relacionamentos. O 2020 deixará marcas profundas em todos e teremos que lidar com os danos.

Tenho percebido o desejo, quase que unânime, das pessoas que o ano termine. No entanto, precisamos estar preparados, porque não será o ponteiro do relógio que fará com que tudo seja diferente. A mudança que tanto almejamos precisa acontecer em cada um de nós. Este ano despertou a capacidade de resiliência do ser humano e esse sentimento é o que precisamos buscar em 2021.