opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Caldeirão em Lajeado

Por

Vale do Taquari

Márcia Scherer (MDB) incendiou a eleição em Lajeado. Ao insinuar que o prefeito teria uma suposta aliança com o crime organizado, em função do vídeo gravado em frente à Associação de Moradores do bairro Conservas e já amplamente divulgado nas redes sociais, a delegada aposentada trouxe um ingrediente novo e indigesto para o debate. Segundo ela, Marcelo Caumo (PP) saúda “sem escrúpulos” e pede aplausos “para dois homens com larga ficha criminal.” O prefeito rechaça e afirma que saudava a todos em um grande evento comunitário.


Caldeirão em Lajeado II

Márcia trabalhou durante muitos anos na Polícia Civil. Ela conhece, como poucos nesta surpreendente corrida eleitoral, a forma de conduzir uma investigação – ou denúncia – contra o crime organizado. Ela sabe que o trâmite dos investigadores precisa ser o mais discreto e sigiloso possível. Não deve ser levado – com emoção ou não – às redes sociais, sob o risco de atrapalhar um eventual trabalho policial. Dito isso, subentende-se que a experiente delegada aposentada entende, de antemão, que Caumo não está ligado ao crime organizado.


Caldeirão em Lajeado III

Mas a dúvida veio à tona e a Justiça foi provocada a analisar as ações. Tanto a parte de Caumo, em relação à polêmica aglomeração no bairro Conservas – e cujo objetivo era o lançamento da candidatura do vereador “Neco”, do PSDB –, tanto a parte de Márcia, que aparentemente o acusa de algo muito mais grave do que este ato em si aparenta. Ao eleitor, caberá decidir em qual postura ele deve apostar para governar a cidade. Afinal, um bom gestor público não vive só de projetos. Ele precisa de postura e responsabilidade adequadas para garantir respeito.


Caldeirão em Lajeado IV

A Justiça Eleitoral foi rápida e mandou retirar do ar o vídeo da candidata. A defesa de Caumo se mostrou triplamente indignada com a última frase da delegada aposentada: “Crime organizado tem hora marcada no gabinete da prefeitura”. Na liminar, o juiz declara que a candidata não apresenta provas sobre a suposta ficha criminal das pessoas citadas, e tampouco da suposta ligação do prefeito com o crime. “Se é do seu alcance tais dados criminais, ao eleitor não o é, o que lança, em tese, na irregularidade qualquer informação sem a devida comprovação.”


Mal-estar em Teutônia

Atual vice-prefeito e candidato à reeleição pela chapa da Situação, Valdir Oliveira do Amaral, o “Dirinho” (PSD), foi internado no Hospital Ouro Branco após passar mal durante o debate eleitoral realizado pelo Grupo Popular, na manhã de domingo. Ele participou dos três primeiros blocos e começou a sentir-se mal. Levado para casa, e segundo afirmam os colegas de partido, ele sofreu um desmaio e foi encaminhado ao Hospital Ouro Branco pelo SAMU. “Dirinho” tem histórico de problemas cardíacos. Mas passa bem.


Frente a Frente

Entre os sete candidatos a prefeito de Estrela, Denise Goulart (PT) foi a última a ser sabatinada no programa Frente e Verso. Nessa segunda-feira, a petista buscou apresentar detalhes do seu plano de governo, mas pecou na ausência desses detalhes. Seja em função da falta de traquejo político, ou mesmo diante da decisão repentina de concorrer à prefeitura, fato é que a única candidata mulher neste pleito estrelense deixou algumas perguntas sem respostas.


Frente a Frente II

Por outro lado, Denise apresentou com riqueza de detalhes o seu plano para reestruturar a máquina pública. Entre as mudanças, sugere a remodelação das secretarias, e até a criação de uma Secretaria da Mulher. Também leva pontos ao defender, sem medo de ser feliz, as cores do seu único partido na vida: o PT. Diferentemente de outros agentes públicos, que deixaram a sigla ou mesmo não assumem a bandeira dourada, a professora demonstrou coerência.


Mudanças e apreensão

A história está prestes a mudar na Universidade do Vale do Taquari. Primeiro e único Reitor da Univates até a presente data, o professor Ney Lazzari vai deixar o cargo este ano, após mais de duas décadas no comando da instituição. Ele não participa das eleições internas da academia e tudo indica que passará o almejado e valioso bastão para a atual Diretora de Desenvolvimento de Pessoas da Univates, Evania Schneider. A definição final só ocorre em novembro.

Evania é especialista em Gestão de Pessoas, Gestão Universitária e é Mestre em Administração. A professora ingressou na Univates em 1996. Hoje ela também atua como coordenadora do Centro de Operações de Emergência em Saúde (COE) e possui prestígio entre colaboradores. Mas é inegável a apreensão junto a alguns funcionários com esta histórica mudança. É até natural. Mas Lazzari segue na Fuvates. E nós torcemos para que tudo dê certo!


Pesquisa em Estrela

Um áudio do prefeito Rafael Mallmann (MDB), convocando a militância para monitorar os pesquisadores do Instituto Methodus, em Estrela, agitou os bastidores. No áudio, divulgado sábado, ele avisou que a pesquisa seria coletada no dia seguinte. Não foi. Os pesquisadores estiveram ontem na cidade. Mesmo assim há relatos de que pessoas ligadas a candidatos se ofereceram para responder. Ora, não há nada de novo no “front”. Fatos assim são corriqueiros na política e, como de praxe, não alteram o resultado. O Instituto está bem prevenido para esse jogo torpe. E o bom eleitor já não suporta mais essa provinciana forma de fazer política.