Aluna de Travessseiro recebe o Prêmio Jovem Talento Científico Gaúcho

EDUCAÇÃO

Aluna de Travessseiro recebe o Prêmio Jovem Talento Científico Gaúcho

Karol Valesan, de 14 anos, cursa o 8º ano na Escola Monsenhor Seger. Ela recebeu a distinção pelo desempenho em matemática

Por

Aluna de Travessseiro recebe o Prêmio Jovem Talento Científico Gaúcho
Vale do Taquari
CRON Previne - Lateral vertical - Final vertical

Com cerimônia marcada para esta sexta-feira, 23 de outubro, às 18h, o Prêmio Jovem Talento Científico Gaúcho reconhecerá estudantes de Ensino Fundamental e Ensino Médio que receberam medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática (Obmep) de 2019. Foram escolhidos seis adolescentes, sendo três do Ensino Fundamental e três do Médio, para receber a honraria, que busca estimular o desenvolvimento de talentos e motivar o aprendizado nas áreas de Ciência e Tecnologia.

O prêmio é uma ação do projeto Educar para Inovar, da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sict), em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs) e a Secretaria de Educação (Seduc). Nesta reportagem, conheça um pouco sobre os três premiados do Ensino Fundamental.

Amor pela Matemática

Karol Cristina Valesan tem 14 anos e cursa o 8º ano do Ensino Fundamental na Escola Monsenhor Seger, do município de Travesseiro. Em 2019, no 7º ano, recebeu medalha de ouro na Obmep. A estudante conta que sempre participa de competições envolvendo Matemática. Em 2018, ganhou medalha de bronze na mesma olimpíada, o que lhe rendeu a participação no Programa de Iniciação Científica que oferecia aulas semanais e provas dissertativas mensais. “As perguntas não eram nada fáceis, mas sempre me dediquei muito a isso”.

A participação no programa permitiu uma boa preparação à aluna, quem em 2019, passou na primeira fase da Obmep sem dificuldades. “Na prova da segunda fase eu me dediquei demais, passei a tarde inteira fazendo, porque defini que eu poderia errar somente duas questões, para poder levar ouro. No dia em que saiu o resultado eu estava muito ansiosa e, quando recebi a notícia de ter ganhado ouro, quase não acreditei. O único sentimento que havia dentro de mim era orgulho, gratidão e muita felicidade”, recorda.

Apesar da distinção na área científica, a adolescente revela que nunca imaginou que estaria ao seu alcance ganhar o Prêmio Jovem Talento Científico Gaúcho e, quando entraram em contato com ela, ficou muito surpresa. “No começo, nem acreditei que era verdade. Quando percebi que realmente estava ganhando, fiquei imensamente feliz”, celebra.

O interesse por Matemática, sua disciplina favorita, foi incentivado desde cedo pelas professoras e pela mãe de Karol, que frequentemente a levava para a faculdade onde estudava e, lá, a jovem conversava com as suas professoras de Matemática. “Os estudos são a coisa mais importante para mim, porque, com eles, posso atingir meus objetivos. Eles me proporcionam experiências incríveis, como a de ganhar a medalha de ouro e o Prêmio Jovem Talento Científico Gaúcho. Os estudos são a minha maior riqueza e são a única coisa que ninguém no mundo poderá tirar de mim.”, avalia.

No futuro, acredita que seu conhecimento lhe facilitará em uma carreira na área da Ciência, seja ela qual for. “Ainda não sei qual profissão irei escolher. Tenho muito interesse na área forense, mas, se não escolher isso, tenho toda certeza do mundo que escolherei outra área da Ciência.”