opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Equilíbrio em Teutônia

Por

Vale do Taquari

A partir das pesquisa do Institu­to Methodus, o desequilíbrio nas intenções de votos em Teutônia deve passar pelo critério de rejeição. O empate técnico entre Jonatan Brönstrup (PSDB) e Cel­so Forneck (PDT), e o baixo índice de indecisos colocam o critério de rejeição como o principal alvo das coligações. Todos precisam focar neste critério para garantir a vitória. E o PDT, neste impor­tante quesito, larga em vantagem. Forneck é o candidato menos rejeitado entre os três postulantes.

Equilíbrio em Teutônia II

O atual prefeito e candidato à reeleição Jonatan Brönstrup (PSDB) está sete pontos percentuais abaixo do índice de 40% alcançado nas eleições de outubro de 2016. De acordo com a pesquisa, ele perdeu votos em seu principal reduto eleitoral: o bairro Canabarro. Ele pretende recuperar apoio a partir do dia três de novembro, quando inicia suas férias. Por outro lado, ele conquistou a van­tagem no bairro Languiru, onde historicamente a família Brönstrup colecionava maus resultados.

Equilíbrio em Teutônia III

Ariberto Magedanz (PP) demonstra alta aprova­ção no interior do município. Por lá, ele deve retirar muitos votos de Celso Forneck (PDT), conforme avaliação do próprio pedetista. O progressista está em sua nona eleição, e já atuou por diversas vezes em cargos públicos e eletivos. Em função disso, ele considera “normal” o seu índice de rejeição que, tal como a rejeição ao atual prefeito Jonatan Bröns­trup (PSDB), ficou em 25%. Já o pedetista Celso Forneck registrou 17,6% de rejeição.


Ensino em Encantado

A educação é sempre uma das prioridades de todo e qualquer plano de governo. Não é diferente em Encantado. Por lá, a inova­ção está com tudo. No plano de governo dos candidatos Adroaldo Conzatti (PSDB) e Jonas Calvi (PTB), a coligação sugere “inserir e fortalecer os projetos de Educa­ção Financeira e Empreendedo­rismo nas séries fundamentais” Já na chapa de oposição, formada por Enoir Cardoso (PP) e Celso Cauduro (MDB), o grupo sugere “inclusão da Tecnologia na escola, capacitando os alunos através de parcerias com Centros Tecnológi­cos e Universidades”. Gostei!


Mulheres (ainda) na retaguarda

Em Arroio do Meio, ambos os candidatos a prefeito pos­suem mulheres na retaguarda. Klaus Schnack (MDB) terá novamente ao seu lado Eluise Hammes (PT). Já o seu adversário, Danilo Bruxel (PP), vai apostar em uma parceria nova com Adriana Meneghini (PDT). Ambas da área do ensino. Ou seja, a candidatura de uma mulher para prefeita da cidade está “batendo na trave”.


Frente a frente

Daniel Fontana (PSB) foi o terceiro can­didato entrevistado – ou “sabatinado” — no programa Frente e Verso. Antes dele, Marcelo Caumo (PP) e Márcia Scherer (MDB) também tiveram a oportunida­de de apresentar seus respecti­vos planos de governo, e contar um pouco das suas histórias de vida. Fontana foi bem. Com uma campanha forte nas redes sociais, o representante do PSB pareceu mais conectado com o mundo físico. Em suma, seus projetos ficaram mais descom­plicados ao eleitor.

Frente a frente II

Inicialmente, Fontana titu­beou para citar o nome do seu ex-partido, o PT. Questionado sobre sua carreira na política (ele já foi vereador, candidato a prefeito de Lajeado e também deputado federal suplente), ele demorou para dar nome ao “partido”. Uma atitude des­necessária. Não há demérito algum na trajetória do agora membro do PSB. Tampouco no fato de pertencer ou já ter per­tencido ao quadro de filiados do Partido dos Trabalhadores. Por fim, ele citou sua ex-sigla.

Frente a frente III

Fontana elevou a voz com o andar da carruagem. No início do programa, ele parecia o mesmo candidato “paz e amor” do debate realizado com os adversários. Entretanto, o candidato do PSB deixou de lado o quase “susurro” e passou a falar com eloquência e autoridade sobre os mais diversos assuntos ligados ao setor público e privado. Fontana demonstrou um “sangue no olho” que até en­tão restava – ou ao menos parecia – adormecido no ex-suplente de Deputado Federal.

Frente a frente IV

Questionado sobre as chances de vitória, ele demonstra a con­fiança necessária a quem se dis­põe a colocar a “cara a tapa”. Mas o caminho é árduo. Na primeira pesquisa realizada pelo Instituto Methodus, Marcelo Caumo lidera com 37,2% das intenções de voto. Fontana tem apenas 7,1%, e Már­cia Scherer completa a lista com 23,2% na menção estimulada. Mas ainda restam 30 dias para o aguardado pleito de 2020, e é alto o número de indecisos. Ou seja, o jogo está em aberto.


Indeferimento em Lajeado

Filha do candidato a prefeito de Lajeado, Daniel Fontana (PSB), a candidata a vereadora Anita Glória Fontana (PSB) teve a candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral. Ela não poderá concorrer neste ano em função da idade. A jovem tem 17 anos e, de acordo com a legislação eleitoral, precisaria ter completado 18 anos até o dia 26 de setembro passado.