Situação da pandemia

Osmar Terra defende que retorno das aulas não aumentará índice de contágios

Conforme o parlamentar, que também é médico, pandemia se encaminha para o fim no país

Por

Osmar Terra defende que retorno das aulas não aumentará índice de contágios
Deputado federal participou do programa A Hora Bom Dia, desta terça-feira. Créditos: Divulgação/ Câmara dos Deputados
Brasil

Contrário a medidas de isolamento social, o deputado federal Osmar Terra (MDB) participou do programa A Hora Bom Dia, desta terça-feira, dia 15, e foi enfático quanto à situação da pandemia no país. Para ele, o ciclo do vírus está perto do fim.

Para o parlamentar, que é formado em medicina, a covid-19 terá um fim e não será por meio de vacina. “Logo se encerra o ciclo natural do vírus e a pandemia será controlada. Já temos o exemplo da China e da Europa”, afirma. Segundo ele, será importante ter uma vacina segura para prevenir novos contágios no futuro.

Questionado sobre as previsões de 30 mil mortes no país que fez em março, Terra defende que eram os números disponíveis na época. “Outras previsões, com números superiores a 1 milhão de mortos também foram errôneas”, explica. Para ele, fechar o comércio e manter as pessoas em casa não reduziu o número de mortes tampouco diminuiu o número de internações em hospitais pela doença.

O deputado reforça que a taxa de letalidade da doença é baixa, principalmente pelo fato de muitas pessoas se contaminarem e não serem testadas. “99,8% das pessoas contaminadas se curam e apenas 0,02% morrem pela doença”, afirma.

Escolas

Relacionando a covid-19 com a gripe H1N1, Terra explica que na época daquela epidemia, as crianças eram afetadas e, ainda assim, aprenderam a manter a higienização para evitar o contágio. Ele menciona pesquisas que apontam que o retorno de aulas presenciais não aumenta o índice de contágios pela doença, por ela não ser letal para esta parcela da população.

Terra afirma que a paralisação de seis meses das aulas terá prejuízos irreparáveis no ensino do país. “Pode ter um e outro surto em determinada escola, mas isso não justifica a paralisação de todo sistema educacional do país. Se uma escola apresentar um surto, fechamos ela e controlamos a situação”, defende.

Confira a entrevista na íntegra: