opinião

Edson Brum

Edson Brum

Único deputado estadual do Vale do Taquari

Assuntos do cotidiano e política

Eleições 2020 e seus desafios

Por

Lajeado

As Eleições 2020 serão desafiadoras tanto para os candidatos quanto para os eleitores. Pela primeira vez em 35 anos, o Brasil adiou o calendário eleitoral devido à pandemia de coronavírus.

Previsto inicialmente para 4 de outubro, o pleito foi transferido para 15 de novembro, quando mais de 150 milhões de eleitores irão às urnas em 5.570 municípios para escolher os seus representantes nos cargos de vereador, vice-prefeito e prefeito. O segundo turno, onde houver, será em 29 de novembro.

A alteração trouxe um novo cronograma. Em duas semanas, se inicia a propaganda eleitoral, inclusive pela internet. É neste momento que a grande maioria da sociedade se conscientiza que teremos eleições neste ano. E, se as mudanças na legislação já traziam novos elementos para o pleito, as condições impostas pela covid-19 ampliaram ainda mais o contexto.

Embora as regras de distanciamento social venham sendo flexibilizadas, muitas atividades tradicionais em campanhas eleitorais, como grandes comícios e participação em eventos populares, devem seguir com limitações. Além disso, as visitas de porta em porta também não serão bem vistas por parte da população. Em muitos casos, os candidatos precisarão substituir o costumeiro corpo a corpo pelo contato virtual.

Neste sentido, as redes sociais, que já tiveram um impacto significativo em 2018, ganham ainda mais relevância para levar ao público todas as informações necessárias. Na contramão, o eleitor precisa aproveitar o canal – seja Facebook, Instagram, WhatsApp, Twitter, YouTube, entre outros – para indagar o candidato a respeito de suas principais dúvidas. A interação é a grande arma para aproximar as principais partes do processo e transformar o diálogo em voto.

Mas o caminho para a urna traz outros desafios, como a proibição das coligações entre partidos nas proporcionais, que evita que candidatos mais votados garantam a vaga de outros menos conhecidos em seu próprio grupo. Isto exigirá campanhas mais individualizadas para vereador e uma dedicação maior de cada concorrente. Também estarão em evidência assuntos impulsionados pela pandemia, como saúde, educação e crise econômica, que interferem diretamente no dia a dia de cada cidadão.

Como deputado municipalista, e por ser filho, neto e irmão de quem já foi prefeito e vice-prefeito, sei da importância do município. É nele que tudo acontece. Por isso, precisamos dar atenção para a eleição que se aproxima para escolhermos os nossos representantes com responsabilidade.