Um Lajeadense de cara nova

opinião

Caetano Pretto

Caetano Pretto

Jornalista

Colunista esportivo.

Um Lajeadense de cara nova

Por

Lajeado

Foto: Caco Marin

Será de Everton Giovanella a missão de presidir o Clube Esportivo Lajeadense pelos próximos três anos. Será um novo modelo de gestão, que deixa de centralizar no presidente o poder, e passa a contar com quatro vice-presidentes, que formam o Conselho de Administração.

Junto de Giovanella, estarão Airton Paulo Bernhard, Marcos André Mallmann, Ito Lanius e Tomaz Lopes. Acredito que o grupo seja muito competente, e que exercerá um bom trabalho à frente do nosso querido Alviazul.

Alexandre Sebben fez um bom trabalho no tempo em que presidiu o clube. Mesmo sem dinheiro, sua gestão conseguiu montar bons times para a disputa da Divisão de Acesso, sendo eliminado sempre por equipes de maior poderio financeiro.

Não consigo nem mensurar o tamanho do trabalho que seja estar no comando de uma equipe de futebol, ainda mais agora, neste tão atípico ano de 2020. Mesmo assim, deixo uns pitacos sobre o clube. Para mim, antes de pensar em subir de divisão, o Lajeadense deve pautar o seu trabalho em outras frentes.

O clube às vezes soa como antipático. É um comentário que já ouvi, e de forma até frequente. Acredito que antes de tudo, quem assume o Alviazul, deva zelar por sua imagem. Apostar nas categorias de base, na comunidade, seja por meio de trabalhos sociais, ou até com a criação de um possível time feminino. Antes de qualquer coisa, o Lajeadense precisa ser um clube lajeadense.


Foto: Lucas Uebel

Hora de engrenar

Qualquer resultado que não seja uma vitória convincente será frustrante para o Grêmio na noite de hoje. Tricampeão gaúcho, o time precisa engrenar no Brasileirão. O Sport é o adversário ideal para isso, pois é um time no máximo mediano. O Tricolor tem uma sequência de bons jogos pela frente. É hora de engrenar no campeonato.