Reforma tributária

Programa Negócios em Pauta debate reforma tributária

As propostas de alterações na matriz de impostos foram os assuntos do programa deste sábado

Por

Programa Negócios em Pauta debate reforma tributária
O advogado Tiago Vian, a empresária contábil e vice-presidente de administração da Acil, Graciela Black e o advogado e diretor de integração regional da Acil, Fernando Arenhart, participaram do programa neste sábado. Créditos: Laura Mallmann
Vale do Taquari

O programa Negócios em Pauta, da Rádio A Hora 102.9, deste sábado, dia 1º, debateu sobre as necessidades da Reforma Tributária no país e no estado. As propostas de alterações na matriz de impostos foi pauta do debate entre o advogado Tiago Vian, a empresária contábil e vice-presidente de administração da Acil, Graciela Black e o advogado e diretor de integração regional da Acil, Fernando Arenhart.

Conforme Graciela, a carga tributária afeta todos os produtos consumidos. “Trabalhamos por muito tempo até poder dizer que quitamos toda carga tributária. Precisamos simplificar para sermos mais ágeis e menos burocráticos nos processos tributários”, exemplifica. Ela explica que, na área contábil, são muitos processos e regras até que uma empresa esteja regularizada. “A mudança da legislação é muito rápida e há muitas brechas na legislação que deixam margem. É preciso simplificar para que as coisas sigam de uma melhor forma”, esclarece.

Para Vian, a tributação sobre produto sempre foi muito elevada no estado e no país. “A situação que o mundo enfrenta de crise sanitária e econômico que gerou uma retração de 10% no PIB. Sendo assim, acredito não ser o melhor momento para debater a reforma tributária”, argumenta. Para ele, as propostas apresentadas não são de fato uma reforma, e sim, um processo de aumento das alíquotas de tributos. “Simplifica em algumas partes, mas me parece prejudicial a todos”, explica. “Aumentar tributos não me parece o melhor meio de reformar tendo em vista o momento que o país e estado passam”, reforça Vian.

Arenhart relembra que o tema reforma tributária já é tratado há cerca de 20 anos e debatido por especialistas. “A reforma previdenciária era uma das necessidades. A reforma administrativa, com otimização de cargos no estado, ainda é pouco debatida. E, por fim, a tributária”, esclarece. Para ele, este é o momento para alterar e implementar um novo modelo. “O bom sistema tributário tem características como a simplificação, o entendimento das pessoas por aquilo que estão pagando. Hoje, isso não acontece. Grande parte dos tributos são cobrados indiretamente e são desconhecidos por grande parte da população”, argumenta.

Confira a entrevista na íntegra: