opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Por ora, sem reforma na câmara

Por

Vale do Taquari

A câmara de Lajeado quase passou por uma reforma em todo o pavimento do plenário, da Sala da Presidência, e também da Sala das Comissões. O edital de licitação para “troca de carpete” e colocação de “piso laminado” nesses setores citados foi aberto no fim do ano passado. No dia 19 de dezembro, a Construtora Marcel Eirelli foi anunciada como a vencedora daquela concorrência pública. No mês seguinte, todo o processo foi suspenso.

O orçamento apresentado pela referida empresa era de R$ 29,8 mil. Para o plenário, a proposta era trocar todo o pavimento e colocar “carpete triplamente agulhado”, para “ambientes de tráfego intenso”, do tipo “anti-chama”. Há recomendações de segurança neste sentido. Para as demais salas, o edital previa piso laminado. Entretanto, no dia 28 de janeiro o atual presidente Lorival Silveira (PP) solicitou o cancelamento de todo o processo licitatório. Ou seja, a reforma foi cancelada.

A decisão de suspender é complexa. O Legislativo não é proprietário do prédio. Tampouco das salas utilizadas pelos 15 vereadores e 43 CCs. O prédio tem dono e o dono recebe pelo aluguel. Cabe ao proprietário gastar com reformas e tornar o seu espaço atrativo e seguro para o uso do ente público que lhe paga. Não faz sentido gastar dinheiro do contribuinte para reformar um prédio privado. Fosse assim, faz mais sentido deixar o aluguel para trás e buscar uma sede própria.

Aliás, diferentemente dos últimos presidentes do Legislativo lajeadense, Silveira não parece muito interessado no tema “sede própria da Câmara” – talvez em função da pandemia. E só para relembrar, esses debates foram pra lá de acalorados e pouco produtivos neste legislatura. Houve, até, a intervenção judicial em função de suposto sobrepreço na compra de imóvel. E também houve um concurso acadêmico para o projeto arquitetônico. Houve de tudo. Menos uma solução.


“Castelo” dos Vereadores!

E se em Lajeado o debate sobre a compra de uma sede própria ao Legislativo parece não avançar, em Teutônia a sonhada sede da Câmara de Vereadores será enfim inaugurada. Foram 10 anos de obras para a construção de um verdadeiro castelo aos legisladores. E custou quase R$ 2,5 milhões. São quatro andares e plenário para 250 pessoas. Resta saber o que será feito no local para não tornar esse gigantesco imóvel em um espaço ocioso.


Auxílio emergencial

O Auxílio Emergencial está pautando as mídias tradicionais Brasil afora. As “matérias investigativas” apontam o dedo para uma minoria que recebeu parcelas de R$ 600, mas que possui renda suficiente para viver bem durante a pandemia. Eu conheço muitas pessoas que receberam esse auxílio. E outros tantos que receberam sem necessidade. Mas, em vez de sair pré-julgando, eu ainda prefiro acreditar na boa-fé de quem eu conheço.

Auxílio emergencial II

Eu prefiro acreditar que, dentro dessa minoria, a maioria andava verdadeiramente assustada com o que estava – ou ainda está – por vir. E por isso recorreram precocemente aos recursos públicos. Outros tantos são usurpadores, mesmo. Acredito que tudo isso – o erro de quem facilitou o acesso e o constrangimento de quem pegou sem necessidade – servirá de lição. Mesmo assim, é necessário um rigoroso “pente-fino” para reaver repasses indevidos.

Auxílio emergencial III

Como sociedade, temos o dever de zelar pelos recursos públicos. Isso não é missão exclusiva de Jair Bolsonaro, ou seja lá quem for o mandatário do país. Temos direitos, mas acima de tudo temos deveres como cidadãos. E esses deveres tomam proporções ainda maiores quando tratamos de servidores públicos. Dito isso, é preciso punição exemplar aos funcionários públicos estáveis, que não sofreram redução salarial e, mesmo assim, solicitaram o auxílio.


PL em Lajeado

No dia 14 de março, publiquei sobre o ingresso do ex-jogador de futebol Everton Giovanella na política lajeadense. Ontem, a Justiça Eleitoral emitiu a Certidão de Composição do Partido Liberal (PL) em Lajeado. E conforme antecipamos, o ex-atleta será o presidente da sigla na cidade. Além dele, a direção do partido terá Adriano Siqueira; Andrea Gomes da Silva; Andre Ederson Siebra; Marília de Siqueira; Vorlei de Brito; Rosemari Giovanella; Andressa Gomes da Silva; Fabiana Wagner; Henrique Siebra; Luciano Bottoni; e Tiago Guimarães. A sigla deve se aliar ao PP.


DEM em Estrela

Em Estrela, o policial federal Diego de Castro (direita na foto) solicitou a descompatibilização junto ao Ministério da Justiça e confirmou sua pré-candidatura a prefeito pelo Democratas (DEM). Na foto, ele está acompanhado do presidente do DEM de Estrela, Felipe Diehl. O Democratas irá de chapa pura nas eleições de outubro – ou novembro – de 2020. O Tenente-Coronel reformado da BM, Carmo Horn, é o pré-candidato a vice. Comandante César (MDB), Elmar Schneider (PTB), Valmor Griebeler (PL), Paulo Argeu (PDT) e Eduardo Wagner (PSL) são outros pré-candidatos a prefeito. E a viúva do ex-prefeito Celso Bronstrup, Mariza Casagrande Bronstrup, deve concorrer a vice pelo PSD. Muitos apostam em uma dobradinha entre ela e Schneider.