opinião

Deolí Gräff

Deolí Gräff

Jornalista

Coluna sobre sociedade, arte, cultura e expressões comunitárias.

Músico trabalha de marceneiro

Por

Vale do Taquari

Dério Marchi, 70 anos, é instrutor de música, gaiteiro, tradicionalista, marceneiro e dedicado a preservação da cultura gaúcha e das etnias alemã e italiana. Em sua casa, em Canudos do Vale, ele mantém o Centro de Artes Nativas Querência Gaudéria. Ele transformou a garagem da casa em um galpão de CTG, onde ministra aulas de música para jovens que querem iniciar na arte de tocar gaita, violão ou cantar. Neste período de pandemia e quarentena, todas as atividades estão suspensas. Para conseguir uma renda extra e ocupar o tempo, ele e a esposa estão produzindo móveis na marcenaria que mantém junto a residência. Ele produz cadeiras, mesas, bancos e outras peças, inclusive sob encomenda. As vendas ele faz pelo facebook. “Toda produção é feita com madeira reaproveitada”, garante Marchi.

“Com a chegada da Pandemia a classe que muito sentiu o efeito foram os músicos. Ficamos de mãos atadas e precisamos buscar novas alternativas de renda”.


Escritor baiano trocou Salvador por Lajeado

Baiano de Salvador, Ivan Dorea Canci Soares, 72 anos, veio de muda, com a família, para Lajeado. Graduado em História e pós-graduado em Arqueologia lecionou no magistério universitário durante 25 anos. Publica os seus escritos desde os 15 anos de idade. É autor de 15 livros nas áreas de arqueologia, biografia romanceada, história, contos e poesias. Fundou a “Humanitatis Realizações Literárias”, uma micro-editora, a qual continua ativa e fazendo publicações. Participa da Sociedade de Arqueologia Brasileira, da Academia de Letras e Artes do Salvador ocupando a Cadeira nº 3 e da União Brasileira de Escritores (UBE).

Casado com a arqueóloga e psicopedagoga Nádja Freire Dorea Soares, tem três filhas: Faísa, Layla e Thais. A vinda dele para Lajeado com a esposa, deve-se às filhas Layla que reside em Lajeado e Thais em Estrela, ambas trabalham aqui e casaram com gaúchos.


Jorge Moreira

Morreu, domingo, 21/06, Jorge Moreira (91) de Encantado. Ele era escritor Acadêmico da Academia Literária do Vale do Taquari (Alivat), ocupante da Cadeira nº 02. Um homem de muitas virtudes e capacidades. Como pai era muito dedicado à família. Foi advogado, professor, tradicionalista, poeta, escritor, compositor, político e uma das grandes lideranças culturais da região. Conforme a Nota Fúnebre da Alivat, “perdemos um baluarte da cultura e da literatura do Vale do Taquari”.


Conferência distrital

O Distrito 4700 do Rotary Internacional realizou sexta-feira, 19/06, a 30ª Conferência Distrital. Por causa da pandemia do coronavirus, a mesma foi realizada de forma virtual. Na coordenação esteve o governador distrital Luiz Fassina, que está findando sua gestão. No próximo dia 30/06 assumirá o cargo o integrante do Rotary Club de Estrela, Gilmar Lenhardt.

– Atualmente o Distrito conta com 57 clubes e 1514 associados. Mais 4 clubes satélites, sendo um de Lajeado, Satélite Universitário, vinculado ao Rotary Club Engenho.


Lendário espaço gourmet

O Lendário Pub abriu suas portas no dia 18/06 com uma nova proposta, em novo endereço. O que antes era apenas um Pub, agora se tornou um espaço gourmet, com opção de cafés, almoço e o tradicional chopp, sendo todos servidos a qualquer hora do dia. Ainda, o Lendário conta com padaria que oferece produtos fresquinhos e feitos aqui. Por causa da pandemia o atendimento acontece em horário reduzido, funcionando de segunda a sábado das 9h às 19h. Em breve o horário será das 7h as 24h. O novo endereço é a Rua Bento Gonçalves, 1008, Centro de Lajeado. “Venham conhecer nossa nova casa”, convida a gerente administrativa Marina Lanius.


10 mil adoções

Conforme o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) o Brasil atingiu a marca de 10 mil adoções de crianças e adolescentes em cinco anos. O levantamento também mostra que 5.026 crianças estão aptas para adoção e há 34.443 pretendentes. O tempo entre o pedido e a aprovação da adoção é de 4,3 anos.


Chama Crioula

A presidente do MTG, Gilda Galeazzi, com os coordenadores das 30 Regiões Tradicionalistas, decidiu não realizar o acendimento da chama crioula este ano por causa da pandemia. O evento marca a abertura dos Festejos Farroupilhas, que este ano ocorre de 14 a 20/09. O ato foi transferido para 2021, no mesmo lugar, em Canguçu.