O aquário

opinião

Hugo Schünemann

Hugo Schünemann

Médico oncologista e diretor técnico do Centro Regional de Oncologia (Cron)

O aquário

Por

Lajeado
Imec - Lateral vertical - Final vertical

Aquário é um recipiente no qual se criam condições ideais para criar animais. Há controle de qualidade da água, controle de luz, temperatura e de eventuais pragas.

No Brasil, existem alguns aquários – ou bolhas – em que tudo é feito para o bem estar de determinados indivíduos.

Controla-se o que comem (eles escolhem), sua segurança, seu transporte, seu plano de saúde, quem leva filhos na escola, quem leva esposa no salão de beleza, enfim, estes indivíduos vivem em aquários ou bolhas, cercadas de tudo que há de bom e completamente desconectada com a realidade.

O país atravessa um de seus maiores desafios, desde 1500. Somos 210 milhões de habitantes, distribuídos em 8,5 milhões de km², num país rico em minérios, rico em água, com natureza exuberante. (Como dizia Pero Vaz de Caminha, “aqui se plantando, tudo dá”), agronegócio forte, indústria diversificada. Temos petróleo.
Mas, em 2020 temos uma situação para qual ninguém estava preparado, a pandemia, que vem ceifando vidas, destruindo planos, consumindo empregos e estraçalhando empresas.

No cenário atual, todos vamos perder. Todos vamos ficar mais pobres. Todos… menos os que vivem no aquário. A estes nada está sendo negado. Nada está sendo solicitado. Nada está sendo imposto.

A indiferença desse setor da sociedade, com a tsunami que acomete o país é estonteante.

Não se vê nenhuma iniciativa de abrir mão de privilégios, de regalias, de mordomias, em favor de uma sociedade que foi e está sendo atropelada pelos falsos.

Não discutem transferir as eleições (como se eleger prefeitos agora fosse a prioridade da nação). Não se discute reduzir automóveis, passagens aéreas, cargos comissionados, verba para alimentação, rever planos de saúde, abrir mão de parte do salário. Não. Nada disso.

Mantém-se todos os privilégios como se o Brasil fosse a Suécia.

Mantém-se os privilégios como se todos os brasileiros – que pagam estes luxos – estivessem com suas necessidades atendidas.

Mantém-se os privilégios como se todas as dificuldades que o Brasil passa no momento – e que ainda deve passar – dissessem respeito a outro país, outro planeta.

O que o povo do aquário não sabe é que para todo aquele que tem aquário em casa, há um grande terror: se faltar energia elétrica, o aquário fica sem luz e as plantas morrem, fica sem controle de temperatura e os bichos morrem.

Sem energia elétrica, o sistema colapsa.