Conteúdo Patrocinado

Dália Alimentos: Coincidências de um aniversário

Dália faz 73 anos. Eles nasceram no ano de 1973. Dália foi fundada em 1947 e eles irão fazer ou já tem 47 anos

Apresentado por

No dia 15 de junho a Cooperativa Dália Alimentos completa 73 anos de fundação. Janete Fontana (47), Leandro Radaelli (46) e Gianmarco Barzotto (46) são funcionários da cooperativa e têm algumas coincidências entre si (e olha que bacana) com a cooperativa também: eles nasceram no ano de 1973 já completaram ou irão completar 47 anos em 2020.

Mas o que isso tem a ver com o aniversário da cooperativa? Tudo! É fácil se fizermos um cálculo rápido. Então, eles nasceram no ano de 1973 e a Dália completará 73 anos de história e o segundo ponto é que eles irão completar ou já completaram 47 anos de vida, e foi em 1947 que a cooperativa foi fundada. Uma lógica simples, talvez um tanto infantil, mas que traduz de uma forma diferenciada (e divertida) um pouco de cada empregado desta grande mãe que emprega 2,5 mil pessoas e hoje está entre as maiores cooperativas do agronegócio do Estado.

Janete, Leandro e Gianmarco se juntam e simbolizam todos esses funcionários, nas suas mais variadas características e funções, mais as três mil famílias associadas que estão no campo, em 130 municípios gaúchos e que ajudam a fazer esta grande engrenagem funcionar ao longo destes interruptos 73 anos.

A “Janete” da Balança

Dos três personagens citados acima, Janete é a funcionária com mais tempo de casa: são 29 anos como empregada da cooperativa, a serem completados no dia 12 de junho. Ingressou no ano de 1991 no Setor Contabilidade fazendo trabalhos de arquivo e passando o movimento dos associados para os livros diários, numa época de trabalho totalmente manual e quando a informatização estava começando a surgir. “Quando conclui o Ensino Médio precisava trabalhar e havia vagas para caixa no supermercado. A pessoa que me entrevistou achou que eu tinha o perfil para trabalhar na área administrativa e me indicou a uma vaga na Contabilidade. Fiz a prova e fui selecionada”, recorda.

O tempo passou e hoje Janete trabalha na Central de Notas (Balança), na parte da terminação de suínos, no acerto e envio de insumos e no atendimento ao associado e à área técnica. Sobre o que a motiva a vestir a camiseta da empresa e sair para trabalhar todo dia é o sentimento de orgulho que sente pela cooperativa. “Trabalhar na Dália é ter a certeza de que faço parte de uma empresa séria, que produz alimentos com qualidade e está comprometida com o desenvolvimento de seus funcionários, associados e com as regiões onde atua”.

Sobre uma pergunta: a Dália está completando 73 anos de fundação no dia 15 de junho, ano em que você nasceu. E você neste ano fez 47 anos e foi em 1947 que a Dália foi fundada. Como você vê essa coincidência? “Coincidentemente a Dália completa 73 anos no dia 15 de junho, 73 é o ano em que nasci (ela nasceu em 13 de abril de 1973), neste ano completei 47 anos e a Dália foi fundada em 1947. Em meio a essa pandemia que estamos vivendo, quem sabe esta coincidência seja para nos unirmos ainda mais, empresa e funcionários, e juntos seguirmos com a missão de produzir alimentos para a população”. Resumindo em uma frase, o que a cooperativa representa sua vida? “A Dália representa crescimento pessoal, evolução e gratidão”.

O “Gian” da Qualidade

No ano de 1995 Gianmarco Barzotto (46) foi contratado, somando 26 anos de empresa. Nasceu em 1º de dezembro de 1973 e irá completar 47 anos no final deste exercício. Ele é supervisor da Qualidade e coordena os programas desta área na empresa, dentre eles o Sistema 5S, os Grupos de Controle da Qualidade (GCQ’s) e os Procedimentos Operacionais Padrões.

Gian começou na Dália quando a cooperativa possuía um Posto de Vendas em Porto Alegre e lá realizava funções administrativas diversas, como o lançamento de pedidos, a emissão e conferência de notas fiscais, arquivamentos, entre outras tarefas de escritório. No transcorrer dos 26 anos de casa, ele conta ter passado por várias fases. “Tive a sorte de entrar após o início da reestruturação da cooperativa, ocorrida em 1993, que fez com que a empresa iniciasse a sua guinada para se tornar o que é hoje. Foram muitos desafios e aprendizados. Então, não poderia ser diferente e sinto orgulho por fazer parte disso tudo e muita gratidão pelo que vivi e pelo que tenho vivido aqui dentro”.

Para ele, é difícil descrever ou mensurar em palavras o significado da Dália em sua vida, afinal, são quase três décadas fazendo parte da cooperativa. “A Dália Alimentos representa uma parte importante na constituição de muitas coisas em minha vida. Me refiro a colegas, amigos e muitas, mas muitas conquistas e quando você faz parte de uma empresa que se encontra em pleno desenvolvimento, e ainda trabalha com uma equipe de colegas extraordinários, fica fácil se sentir motivado para encarar a jornada de trabalho diária com entusiasmo e amor”. 

Sobre a coincidência do aniversário da cooperativa, ele se diz supresso e até brinca: “coincidência bacana, só fico curioso para saber quem chegou à conclusão desta conta! Mas está sendo válido para mim poder fazer este relato aqui. Certamente a Dália Alimentos é parte relevante do que me tornei e do que levo comigo hoje, em todos os sentidos da minha vida”.

O “Rada” motorista

Leandro Radaelli completará 47 anos de vida no dia 15 de outubro. Ele, que trabalha na função de motorista do Dália Supermercados de Encantado há duas décadas, está na cooperativa há 21 anos. Radaelli recorda que foi contratado em 27 de setembro de 1991 pelo então gerente da Divisão Varejo, Rui Rahmeier, sendo auxiliar de Juarez Fontana (supervisor do depósito à época) e Cisto Vian (encarregado pelo abastecimento do supermercado também à época). Em menos de um ano na função de repositor de produtos pesados, fez a habilitação para dirigir caminhão e passou a ser motorista para as mais variadas funções, sendo a principal, junto a Cisto, em ir todas as segundas e quintas-feiras à Ceasa, em Porto Alegre, buscar mercadoria. “Saímos às 3h da madrugada de Encantado para estar em Porto Alegre às 5h, quando a Ceasa abria. Foram dez anos fazendo isso, além das entregas”, recorda.

Foram dez anos indo à Ceasa, longas madrugadas e atividades com o caminhão. Depois passou a entregar somete ranchos na cidade de Encantado e região. Sempre colaborando com a cooperativa, ele comenta que fez muitas amizades desde que ingressou na Dália e agradece à cooperativa pela confiança e pela oportunidade de trabalho ao longo de todos estes anos. “Trabalho com amor e transparência. Valorizo muito todos os meus colegas, principalmente os que também fazem entregas de rancho, pois estamos sempre juntos, desde as viagens mais curtas até as mais longas, levando as compras da maneira mais rápida e correta possível a todos os clientes do Dália Supermercados”. Quanto à coincidência de fazer 47 anos no ano em que a Dália faz 73 anos de história, ano que ele nasceu, diz ser engraçado. “Olha como é o mundo, trabalho aqui há tanto tempo e não tinha me ligado nesta coincidência”.