opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Fomos trapaceados!

Por

Atualizado quarta-feira,
27 de Maio de 2020 às 15:42

Vale do Taquari

Fomos trapaceados. Governos e desgovernos nos trapacearam ao longo dos anos. Deixaram-nos à mercê de qualquer desgraça. Essa é a verdade. Faltam leitos, hospitais, profissionais da área de saúde e equipamentos médicos em tudo quanto é canto do mundo. Quiçá, no Brasil. São poucos os privilegiados com os pomposos planos de saúde. A grande maioria está à mercê do novo coronavírus e não tem para onde correr. A grande maioria do povo brasileiro foi trapaceada.

Agora é um por todos e todos por um. E para começar, vamos proteger os idosos. Se eles estão no grupo de risco, vamos mantê-los em casa durante o maior tempo possível. Vamos cuidar de quem sempre nos cuidou. Se acaso for, vamos trabalhar em dobro para compensar suas ausências. E vamos monitorar quem ainda está desassistido. Vamos cuidar dos nossos idosos e abastecê-los com alimentos, medicamentos e afeto. Isso depende de cada um de nós. Agora é um por todos e todos por um. Não podemos esperar muito dos nossos governantes.

Só na Câmara Federal, mais de 2,8 mil servidores concursados, 1,4 mil em cargos especiais,  8,9 mil secretários parlamentares e 3,2 mil terceirizados”

Fomos trapaceados, reforço. E a conta chegou. Aqueles bilhões gastos anualmente para manter a máquina pública do Congresso Nacional funcionando – e não agradando – fazem falta. Risivelmente, fazem muita falta. E é só um exemplo. Ainda em março de 2019, os números demonstravam o tamanho do problema. Só na Câmara Federal, eram mais de 2,8 mil servidores concursados, 1,4 mil em cargos especiais,  8,9 mil secretários parlamentares e 3,2 mil terceirizados, um total de 16.559 pessoas.

Já no Senado Federal, eram outros nove mil funcionários concursados, comissionados ou terceirizados, totalizando mais de 25 mil pessoas muito bem remuneradas com o nosso suado dinheiro, e cuja produção efetiva é pra lá de duvidosa em muitos casos. Outros bilhões de reais são gastos Brasil afora para custear regalias nas assembleias legislativas, palácios de governadores, câmaras de vereadores e prefeituras municipais. Bilhões e bilhões de reais.

Fomos trapaceados e a pandemia escancarou a malandragem que vem sendo maquiavelicamente implantada em todos os setores do poder público, de cima para baixo. A pandemia escancarou o buraco na saúde pública. A pandemia escancarou a disparidade entre escolas públicas e privadas. A pandemia escancarou o despreparo de muitos dos nossos governantes. A pandemia escancarou o egoísmo do sistema bancário. Definitivamente, a pandemia escancarou a trapaça.


Criatividade e bom gosto!

A Secretaria de Cultura de Estrela prova que a criatividade é o principal valor na área. Diante da impossibilidade de realizar eventos culturais com aglomerações de pessoas, a equipe da prefeitura organiza um Cine Drive-In para levar um pouco de lazer aos moradores da cidade – e de todo o Vale do Taquari. Haverá aglomeração de veículos. Mas sem contato físico entre os espectadores presentes.

Os ingressos já estão disponíveis na sede da secretaria, entre 8h e 11h30min, e 13h30min e 17h, até sexta-feira. A retirada é mediante a entrega de três quilos de alimentos não perecíveis. Os filmes serão apresentados no Parque Princesa do Vale (Parcão) nesta sexta-feira (Pets – A vida secreta dos Bichos 2”) e no sábado (Missão Impossível – Efeito Fallout). Se o público corresponder, haverá nova sessão de cinema no domingo.


Redução de CCs

No site oficial da Câmara de Vereadores de Lajeado, o projeto que reduz de 43 para 24 o número de Cargos Comissionados (CCs) segue “em tramitação”. Não consta como “arquivado”, “rejeitado” ou nada do gênero. No link da matéria, consta apenas o parecer jurídico que sugere a ilegalidade da proposta. Ou seja, não houve decisão legal por parte da Comissão de Justiça e Redação. Houve, apenas, uma extravagante votação do parecer em plenário, sem debate, e sem defesa por parte dos proponentes.

A bem da verdade, o debate está longe do fim. O projeto apresentado pelos tucanos Ildo Salvi e Mariela Portz pode gerar uma economia de R$ 6 milhões nos próximos quatro anos, e tem como principal objetivo reaproximar a Câmara da realidade financeira dos eleitores. E se cabe só à Mesa Diretora apresentar este tipo de matéria, a solução é bem simples: basta a assinatura e o apoio dos representantes da Mesa Diretora, Lorival Silveira (PP), Carlos Ranzi (MDB) e Sérgio Kniphoff (PT). Vamos aguardar!


Coronavíru$

O governo de Teutônia já gastou quase R$ 300 mil em aplicações diretamente ligadas ao combate à Covid-19 – sem contabilizar eventuais repasses ao hospital. Os dados estão no site do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Entre os gastos, testes e utensílios para profissionais da saúde. Também foram gastos cerca de R$ 15 mil com sistemas de som para alertar a comunidade com o velho e bom “carro de som”. Coisas do interior…


Comércio local

Na cidade de Igrejinha (RS), o Governo Municipal inovou para tentar reaquecer o comércio local. Foi lançado um projeto de desconto no IPTU para incentivar o consumo de produtos e serviços locais. E é bem simples. Em um aplicativo de celular, o contribuinte precisa registrar as notas fiscais para acumular pontos. A cada 100 pontos, recebe 1% de desconto no IPTU. Há um limite máximo de 20% de desconto no tributo. Mas, caso o contribuinte acumule pontos a mais, os mesmos serão descontados nos próximos cinco anos. A mesma cidade cogita subsidiar o aluguel para os comerciantes.