Comportamento

Os segredos do guarda-roupa organizado

Especialista ensina truques para manter o armário em ordem e preservar as peças

Por

Os segredos do guarda-roupa organizado
Vale do Taquari

Um guarda-roupa organizado pode ser um verdadeiro desafio. Para alguns, apenas pensar em arrumar todas as peças que se escondem dentro do armário já é sinônimo de pesadelo. Além disso, ainda há uma infinidade de dúvidas sobre como guardar de forma correta as roupas e sapatos. Dobrar, fazer rolinhos ou pendurar em cabides? Manter os sapatos em suas caixas originais ou não?

Para Ana Carolina Becker, 25, a parte mais difícil é organizar as roupas de inverno. “Acho complicado pelo volume, parece que qualquer espaço é pequeno para elas”.

A semana foi de limpeza no guarda-roupa da jornalista, que costuma reorganizá-lo a cada troca de estação, para facilitar o acesso às peças adequadas ao clima e a escolha das combinações. Ana também aproveita o momento para separar peças que não utiliza. “É um momento para avaliarmos o quanto aquela roupa ainda é importante para nós e se não há alguém que precisa mais”.

Para manter tudo no seu devido lugar, a estratégia de Ana é agrupar as roupas conforme o tipo de peça e pendurar em cabides, ou dobrar e manter no alto das pilhas o que utiliza com maior frequência.

“Me incomoda ter que, às vezes, quase virar a pilha para pegar alguma roupa. Já tentei fazer rolinhos, funcionou durante um tempo, mas resolvi voltar à estratégia das pilhas, que é ótima para peças que ficam em gavetas, funciona bem”.

Nem sempre sobra tempo para organizar o armário toda a semana, então Ana busca evitar ao máximo a bagunça e, por vezes, prioriza organizar ao menos as partes do guarda-roupa onde estão as peças mais utilizadas, para facilitar a rotina.

Mãos à obra

Selecionar categorias para as suas peças pode ser a melhor forma de iniciar a batalha da organização do armário. A consultora de imagem e estilo Rochelle Chiesa aconselha ordenar tudo por cor e tipo de peça, ou seja, separe as calças, por exemplo, e organize conforme suas cores, da mais escura para a mais clara, ou vice e versa. Depois, faça o mesmo com as camisetas, camisas, saias, shorts e vestidos.

Na hora de guardar, tudo dependerá da disposição do espaço dentro do seu guarda-roupa ou closet. Avalie o que pode ser pendurado, uma vez que os cabides ocupam menos espaço, mas não servem para todas as peças. Os itens mais pesados, como blusões, podem deformar se pendurados, então devem ser dobrados.

Cabides de mesmo tamanho e em versões mais finas também ajudam a otimizar o espaço e são uma boa opção para organizar cintos, gravatas e lenços.

Roupas de festa costumam ser mais delicadas e merecem atenção especial. O ideal é guardá-las dobradas, dentro de saquinhos ou de caixas. Caso o tecido amasse ao ser dobrado, mantenha a peça em um cabide, mas utilize uma espuma ou protetor nos ombros, para não deformar a peça.

Roupas com muitos bordados ou em tecidos pesados também devem evitar os cabides e seguir a mesma regra: dobradas em saquinhos ou em caixas, que podem ser de papelão ou de plástico, contanto que tenham aberturas para ventilação.

Os sapatos sempre devem ser higienizados antes de guardados e nunca devem permanecer em suas caixas originais ou em caixas de papelão, pois estas podem umedecer e propiciar o surgimento de mofo.

Cintos, gravatas e lenços, quando não pendurados, devem ir em caixas ou saquinhos etiquetados para facilitar o manuseio.

“Sempre recomendo deixar as peças da estação mais visíveis. O que não é possível fazer uma composição de inverno, como peças muito abertas ou biquínis, por exemplo, podem ser guardados em caixas ou ocupar as prateleiras mais altas”.

As gavetas, por vezes, são as maiores acumuladoras de bagunça, mas podem ser organizadas de forma prática e simples com o uso de colméias para separar meias e roupas íntimas. “Você também encontra colméias maiores, que podem servir para organizar camisetas em rolinhos empilhados, assim elas não amassam com facilidade”.

Outra dica importante e que precisa ser observada com atenção é a forma como a peça deve ser higienizada, destaca Rochelle. As peças em couro, por exemplo, não podem passar por processos de lavagem, por isso, devem ser limpas com um pano úmido e hidratadas, para que o tecido não resseque e quebre ou descasque. “Para saber como lavar a peça, se guie sempre pela etiqueta. Nela você encontra os métodos corretos para isso e conserva suas roupas por mais tempo”.

Por fim, a limpeza do guarda-roupa ou closet também é fundamental para manter o espaço organizado e preservar as peças. Você pode realizar esta higienização com um pano umedecido com sabão neutro, seguido de um pano seco. Materiais anti mofo e anti traça também são importantes para manter a qualidade das suas roupas e sapatos.

Rochelle também indica realizar uma triagem das peças duas vezes por ano, de preferência, na troca entre as temporadas de frio e calor. Separe o que não está mais em condições de uso, o que você gostaria de doar e o que você, de fato, ainda utiliza.

Dicas para aprender mais

Série Ordem na Casa com Marie Kondo

A japonesa Marie Kondo é escritora, empresária e especialista em organização pessoal. Considerada uma verdadeira guru da organização, ficou famosa no Brasil com seu livro “A Mágica da Arrumação”, mas também é autora de “Isso me traz alegria”. Seu método de organização é conhecido como KonMari e consiste em reunir os pertences, uma categoria por vez, e manter apenas as coisas que despertam alegria. A série Ordem na Casa é um reality show desenvolvido pela Netflix e disponível na plataforma, onde a Marie Kondo visita os participantes e os ajuda a aplicar o método em suas casas.

Documentário Minimalismo

Dificuldade para desapegar daquelas peças que você já não usa faz  tempo ou que comprou e nunca usou? Então uma dica para te inspirar é o documentário Minimalismo, que você também encontra disponível na Netflix. Na produção, conhecemos a rotina e a história de pessoas que decidiram adotar um estilo de vida minimalista e reduzir o consumo, da comida aos utensílios e móveis. A partir da filosofia do “menos é mais”, o objetivo é auxiliar quem assiste a pensar no valor das coisas que possui e buscar a felicidade a partir de uma rotina mais simples e menos cumulativa.