Pioneiro na oftalmologia

Balestro se aposenta após cinco décadas

“Maior felicidade é deixar para o filho e neto o gosto pela profissão”, relata o médico conhecido por ser um dos primeiros a instalar clínica de oftalmologia na região

Por

Balestro se aposenta após cinco décadas
Estrela
Eleições 2020

Mais de 40 mil nomes integram a lista de pacientes que já passaram pela Clínica Balestro. Boa parte dessas pessoas se consultou com o médico oftalmologista Nelson Balestro, 79, conhecido na região por ser um dos primeiros profissionais especializados na saúde da visão do Vale do Taquari.

No dia 16 de março deste ano, Balestro trabalhou pela última vez no estabelecimento médico que leva o seu sobrenome. Devido à pandemia do coronavírus, parou de realizar consultas. O período em casa foi satisfatório, o que fez ele confirmar a aposentadoria.

Em 1° de maio, Balestro pediu jubilamento e encerrou a carreira de cinco décadas na área da oftalmologia “Tudo tem um começo e um fim. Minha maior felicidade e deixar para os filhos e netos o gosto pela profissão”, ressalta.

Balestro instalou a clínica própria no Vale na década de 70. Foto: Fábio Kühn

Agora, as atividades da clínica seguirão com o filho Nelson Balestro Junior e o enteado Marco Aurelio Gomez Escouto. O neto Alexandre cursa Medicina e se prepara para ser a terceira geração da família na área oftalmológica.

Trabalho e estudo

Balestro nasceu em Dois Lajeados. Ainda na infância, se mudou para Porto Alegre para estudar. Após indicação de um dos 13 irmãos, Virgílio, o jovem conseguiu uma vaga no Colégio São Pedro com a contrapartida de auxiliar como garçom no educandário. “Com 14 anos, já trabalhava. Ganhava o estudo e alimento com isso”, conta.

O Ensino Médio foi cursado com uma bolsa de estudos no Colégio Rosário. Nessa época, Balestro conheceu o oftalmologista Ivo Corrêa Meyer ao necessitar de óculos contra a miopia. “Admirava muito a simpatia e o trabalho dele. Foi um dos fatores que me incentivou a seguir na profissão”, relata.

Após se formar em medicina, o início da carreira foi em 1969 no Hospital de Pronto Socorro (HPS) de Porto Alegre. Lá ficou três anos e ainda guarda na memória atendimentos como de um homem que perdeu o olho ao inverter e soltar um foguete no próprio rosto durante comemorações de ano-novo.

Por um período Balestro e a esposa Vera também moraram em Tubarão. Foi na cidade catarinense que nasceram os filhos Nelson Junior e Alexandre. A família decidiu se mudar de lá após a enchente de 1974.

Retorno ao Vale

O pedido de parentes que residiam no Vale do Taquari fez Balestro instalar uma clínica em Estrela. Na época, ele era um dos poucos profissionais da área ao lado do lajeadense Nestor Cattoi. “Eram filas de pessoas que buscavam atendimento”, relembra.

A procura fez Balestro desejar um espaço maior. Ele e mais sete médicos se uniram pra comprar um terreno em frente ao Hospital de Estrela e inaugurar um centro médico em 1977. “Era um dos primeiros centros do gênero na região”, reforça.

Imagem da inauguração do centro médico que deu origem à Clínica Balestro

No decorrer dos anos, os profissionais foram saindo e Balestro adquirindo espaços para agregar aparelhos que facilitavam e geravam mais assertividade nos tratamentos. Com a chegada do filho Nelson Junior, no início dos anos 2000, Balestro ampliou a área em 240 metros quadrados.

Atualmente, o estabelecimento médico é conhecido em todo sul de país e se destaca por realizar procedimentos cirúrgicos como o refrativa para correção de miopia e vista cansada