Expansão

Ocupação das UTIs no Vale baixa para 42%

Com vagas criadas hoje, região chega a 33. Capacidade de UTIs é um dos principais critérios de avaliação do estado

Por

Atualizado sexta-feira,
22 de Maio de 2020 às 10:25

Ocupação das UTIs no Vale  baixa para 42%
Em Encantado, Hospital Santa Terezinha inaugura hoje a UTI-Covid. Créditos? Divulgação
Vale do Taquari

A região ganha hoje um reforço na estrutura hospitalar para enfrentar a pandemia do coronavírus. O Hospital Santa Terezinha, de Encantado, inaugura cinco leitos de UTI voltados ao atendimento de pacientes com quadro grave de sintomas respiratórios. Até então, a região possuía UTI em Lajeado e Estrela.

As vagas serão custeadas com recursos próprios do município. O governo municipal confirmou os repasses até que o Ministério da Saúde habilite os leitos ou por três meses. O pedido de habilitação já foi feito.
A diária de um leito é de cerca de R$ 1,6 mil. A manutenção custará R$ 240 mil mensais.

O prefeito Adroaldo Conzatti destaca que a UTI é um pedido da comunidade faz anos. “Com o surgimento da pandemia, coincidiu que a UTI vai ficar pronta nesta época de calamidade. É importante para Encantado, sim, mas é uma conquista para toda a região e o estado”, avalia.

Ao todo, o setor terá dez leitos. No entanto, faltam respiradores para colocar os outros cinco em operação. A UTI fica dentro de um anexo ao hospital de mais de 8 mil metros quadrados em fase de finalização.

24 leitos em dois meses

Desde o início da pandemia, em março, o Vale do Taquari criou 24 novos leitos de UTI direcionados ao atendimento de pacientes com covid-19 ou com sintomas respiratórios. Os leitos criados ao longo de dois meses representam aumento de 266% na capacidade regional para tratamento intensivo.

UTI do HBB tem menor ocupação em um mês

A UTI Covid do Hospital Bruno Born chegou à taxa de ocupação mais baixa em um mês. Nessa terça-feira, 19, o setor teve oito paciente internados para 18 vagas. Uma ocupação de 44%. O mesmo percentual foi verificado ontem, 21.

O hospital não registrava ocupação tão baixa desde o dia 16 de abril. Nessa data, a taxa de ocupação era 37%. O setor contava com um total de oito leitos, dos quais três tinham pacientes internados.

“Curva ainda está subindo”

De acordo com a 16ª Coordenadoria de Saúde, a redução no número de internações de UTI nos últimos dias não representa que a pandemia esteja no fim.

“Entendemos que a curva ainda está subindo. A região tem se organizado para dar conta da situação seja ela qual for. Esperamos estar próximos do pico e descermos em direção a diminuição dos casos”, afirma o coordenador adjunto, Ederson da Rocha.

Rocha pondera que não há como prever se a estrutura disponível será suficiente até o fim da pandemia e que o acompanhamento da situação é feito diariamente. “Atualmente, estamos com capacidade de atendimento, porém, precisamos estar preparados para várias situações, entre o melhor e o pior cenário”, conclui.