Coronavírus

Taxa de letalidade de Lajeado é inferior à do RS

Grande volume de testes reduz taxa de letalidade no município. O índice municipal corresponde a 1,9%

Por

Atualizado sábado,
23 de Maio de 2020 às 08:58

Taxa de letalidade de Lajeado é inferior à do RS
Lajeado

O alto índice de testagem de Lajeado está resultando em um grande número de casos confirmados na cidade e, também, na redução do índice de letalidade da doença. A letalidade para o município é de 1,9%. No Rio Grande do Sul a taxa é de 3,03%, e no Brasil, 6,4%.

Ao longo dos últimos dias, o município vem aumentando os seus indicadores de casos confirmados. Na quinta-feira, se tornou o segundo município com maior quantidade de casos confirmados do Rio Grande do Sul. Com o grande volume de testes rápidos que vêm sendo realizado nos frigoríficos, em razão dos acordos firmados, o município deverá assumir o topo da lista estadual nesta sexta-feira.

– O número de casos positivos deve nos deixar atentos para os cuidados necessários para evitar novas contaminações, como o distanciamento social, higiene e uso de máscara. Mas ao mesmo tempo podemos ver estes números como algo positivo, porque são pessoas que se contaminaram, desenvolveram anticorpos e agora estão aptas a voltar ao trabalho sem risco de contaminar outras pessoas – explica o pneumologista Cláudio Klein, Secretário Municipal de Saúde de Lajeado.

A partir desta sexta-feira, o município vai alterar o quadro de divulgação dos casos positivos da cidade (veja a imagem anexa). Serão usados os dados disponíveis no município, independentemente da contabilização feita pela Secretaria Estadual da Saúde. Como o município recebe antes os dados dos casos positivos dos relatórios das empresas e precisa registrar os dados no sistema do Estado, o relatório estadual acaba contabilizando os dados mais tarde. Por este motivo, os dados do quadro do município (que são divulgados diariamente no Facebook da Prefeitura) serão em geral mais altos do que os dados da tabela estadual. Além desta mudança, o quadro também fará a diferenciação entre os testes do tipo PCR (que são usados para o cálculo da bandeira regional, veja explicação abaixo) e os testes rápidos (que não são usados na bandeira). No quadro, também é mostrado o cálculo dos casos ativos, que são os casos confirmados subtraindo-se os casos já recuperados e os óbitos.

Avaliação da bandeira do Vale do Taquari no Sistema de Distanciamento Controlado

Para o cálculo que define a bandeira semanal do Vale do Taquari dentro do Sistema de Distanciamento Controlado do governo do Estado, são considerados 11 indicadores. Um deles se baseia no número de casos confirmados na região na última semana em comparação com os 7 dias da semana anterior. Desde o começo do sistema, o governo do Estado contabiliza apenas os dados de testes do tipo PCR para o cálculo. Os testes rápidos não são usados para este fim. A metodologia usada pelo Estado pode ser conferida neste link, na área “Nota Metodológica”: http://twixar.me/fk3m

Menor letalidade em Lajeado em razão dos testes

O grande número de testes e de casos confirmados no município também traz um indicador diferenciado para Lajeado: a redução da letalidade da Covid-19.

Letalidade é uma taxa medida pela proporção entre o número de mortes causadas por uma doença e o número total de pessoas que sofrem desta doença. No caso das contaminações por coronavírus, o Rio Grande do Sul tinha, às 12h desta sexta-feira, 5.473 casos confirmados da doença e 166 óbitos, o que resulta numa taxa de letalidade de 3,03%. Já o Brasil tinha 310.087 casos confirmados, com 20.047 mortes, o que resulta numa taxa de letalidade de 6,4%. Altas taxas de letalidade são, em geral, resultado de baixa testagem, já que há um grande percentual de pessoas contaminadas que não fizeram teste.

Na medida em que mais pessoas são testadas e fica confirmado que estão contaminadas, a proporção entre o número de pessoas que morrem é menor em relação às contaminadas. Na Coreia do Sul, por exemplo, um dos países que mais fez testes no mundo, a taxa de letalidade da Covid-19 foi de 2,36% (proporção entre os 11.142 contaminados e os 264 mortos, dados desta sexta-feira no site Worldometer). Ou seja, a taxa de letalidade, quanto mais baixa, mais próxima da realidade.

Lajeado, com os novos números de casos confirmados – 840 casos – e os 16 óbitos já registrados, tem uma letalidade atualmente de 1,9%, menor do que a da Coreia do Sul.

Casos registrados nos frigoríficos

Desde o início desta semana, a Vigilância Epidemiológica de Lajeado, que integra a Secretaria Municipal da Saúde, está recebendo diariamente as informações sobre as testagens que estão sendo realizadas nos frigoríficos. As empresas estão usando testes rápidos, que avaliam a presença de anticorpos nos trabalhadores. Casos positivos indicam que a pessoa teve contato com o vírus e desenvolveu defesas.

Como estes testes devem ser aplicados apenas a partir do 10º dia da contaminação (para que haja tempo de o corpo desenvolver os anticorpos) e como o ciclo do vírus dura em média 14 dias, quando o resultado destes testes é positivo, a pessoa já ao final da infecção ou mesmo recuperada. Ou seja, ela não está mais contaminando outras pessoas.

Todos os casos positivos são informados ao sistema de notificação da Secretaria Estadual da Saúde. Os casos de Lajeado são registrados no município, e os casos de funcionários das outras cidades são informados pelos seus próprios setores de saúde.

Os dados colhidos nos frigoríficos contribuem para avaliar o estágio do surto dentro de cada empresa e para orientar os cuidados para evitar novas contaminações.