Educação

Colégio Teutônia conta com a tecnologia como aliada da quarentena

Modalidade de ensino domiciliar tem contribuído para o aprendizado neste período de reclusão e isolamento social

Por

Colégio Teutônia conta com a tecnologia como aliada da quarentena
Família Vier montou um espaço para as aulas na garagem. Créditos: Colégio Teutônia
Teutônia

O Colégio Teutônia, seguindo as orientações dos órgãos competentes e diante das questões de saúde pública, adotou o ensino domiciliar para esse período de combate e defesa à pandemia mundial do Covid-19. Atendendo orientação do Conselho Estadual de Educação que normatiza e autoriza essa modalidade de ensino, o colégio pode por em prática a qualificação do seu quadro de professores e o treinamento prático realizado com seus estudantes, além de usufruir de toda tecnologia da qual dispõe a partir das possibilidades da plataforma do Google for Education (Google para Educação), uma série de ferramentas de comunicação acessíveis a qualquer momento e por meio de qualquer dispositivo, que potencializam a relação entre colégio, estudantes e comunidade escolar.

“Neste momento, essa condição faz a diferença, é a melhor opção, a mais assertiva. A modalidade domiciliar é organizada pelo professor da turma para a turma, pensada para aquele grupo com todas as suas especificidades e respeitadas as diretrizes legais”, destaca o diretor do CT, Jonas Rückert, valorizando os investimentos autorizados pela mantenedora Fundação Agrícola Teutônia (FAT) e o aporte financeiro da Associação de Pais e Professores (APP) nas novas tecnologias da Sala Google, inaugurada no início do ano letivo de 2018.

Rotina

Na Educação Infantil e nos Anos Iniciais, diariamente no horário de aula, os professores, com suporte do setor de Tecnologia da Informação do colégio, utilizam aplicativo do CT para compartilhamento de atividades, baseado no conteúdo previsto para trabalho em sala de aula. “Trata-se de um plano por dia feito pelos professores, estruturado para cada um dos níveis de ensino”, explica a coordenadora geral, Andrea Wallauer.

Nos Anos Finais, Ensino Médio e Educação Profissional, os professores utilizam a plataforma do Google Classroom, um sistema de gerenciamento de conteúdo para colégios que procuram simplificar a criação, a distribuição e a avaliação de trabalhos. “Diariamente são postadas atividades, desde fóruns, vídeo-aulas, apostilas e outras ações de interação online, como videoconferências e contato virtual entre professores e estudantes”, acrescenta Andrea.

Cooperação

“O resultado disso tudo, sem dúvida, é a união, o caminhar lado a lado em prol da educação dos nossos filhos. O Colégio Teutônia está à frente nesse processo, já no ano passado começamos a usar o aplicativo e, hoje, essa ferramenta está dando todo o direcionamento e mantendo vivo esse vínculo de estudante e colégio. Está sendo um aprendizado muito grande para todos.” O depoimento é dos pais do Teodoro (9) e do Francisco (5), a empresária Clarice Ribeiro Vier (43) e o servidor público estadual Luís Fernando Vier (44).

Residentes em Teutônia, o mais “velho” está no 4º ano e o “pequeno” na Educação Infantil Nível V. “Num primeiro momento vimos a necessidade de fazer uma explicação bem detalhada para eles, para que tivessem a informação clara do que está acontecendo. A partir dessa compreensão, tivemos muita cooperação e montamos um novo cronograma para o nosso dia a dia, processo que foi bem participativo”, comenta Clarice.

No que se refere à rotina escolar, a mãe explica que as atividades se concentram no turno da manhã. “Das 8h às 11h30min é com dedicação exclusiva às atividades que o colégio propõe e encaminha pelo aplicativo. Nos primeiros dias, a dificuldade foi até compreendermos o que a atividade pedia. No momento em que meu filho viu que eu estava com dúvidas, que não estava conseguindo orientá-lo, pediu para ler e compreendeu a tarefa. Pegou o caderno e fez tudo. Isso foi muito legal, nos tranquiliza saber que a professora está mandando pelo aplicativo um formato de aula que eles já consolidaram em sala de aula, mantendo a linguagem e o formato”, parabeniza Clarice.

Professores disponíveis, estudantes dedicados

“Nestes últimos dias, tenho acordado um pouco mais tarde que o normal, já estão postadas atividades para serem realizadas. Procuro estudar primeiro o conteúdo passado e depois realizar os trabalhos, tudo no período da manhã, como se estivesse na escola. Tenho feito atividades do livro das matérias, olhado vídeo-aulas sobre o assunto e também realizado trabalhos específicos, alguns de revisão e outros de conteúdos novos”, comenta Fernanda Allebrandt Werlang (15), estudante da 1ª série do Ensino Médio do Colégio Teutônia.

A jovem elogia a dedicação dos professores. “Têm se mostrado muito disponíveis, estão sempre tirando nossas dúvidas e desenvolvendo métodos diferentes para apresentar o conteúdo, o que acaba sendo muito bom, pois facilita a compreensão e faz com que as aulas online não sejam dificultadas.”

Inserida nesse mundo tecnológico, Fernanda avalia como positivo o uso das ferramentas disponibilizadas pelo CT. “As tecnologias são um facilitador no processo de aprendizagem. Apesar de não termos contato direto com os professores e isso dificulte um pouco a comunicação, acabou também por ser uma forma de fazer com que desenvolvamos mais nossa autonomia, e isso pode ser muito bom para experiências futuras.”

As muitas fontes de distração exigem disciplina, mas não impedem a evolução da estudante. “A falta de organização pode atrapalhar. No começo foi difícil manter o foco, ficava mexendo no celular e me dispersava. Mas agora estou me distanciando de coisas que podem me distrair até que termine as tarefas, sem esquecer do intervalo entre elas, para não sobrecarregar e conseguir me dedicar mais a cada uma”, conclui Fernanda.