Câmara de Travesseiro

Câmara promulga lei para reduzir salários de políticos

Redução de 50% no ordenado de agentes públicos passa a valer em 2021. Representantes do Executivo alegam que mudança trará dificuldade ao próximo prefeito

Por

Câmara promulga lei para reduzir salários de políticos
Presidente do Legislativo, Adriano Steffler promulgou lei na quarta-feira, após o Executivo se abster
Vale do Taquari

Ficou para o Legislativo definir a remuneração dos agentes políticos de Travesseiro no quadriênio 2021-2024. Na quarta-feira, 11, o presidente Adriano Steffler promulgou a lei que diminui os salários dos vereadores, secretários, vice-prefeito e prefeito pela metade (veja valores no quadro fechado).

Os três projetos foram aprovados com cinco votos em sessão no dia 17 de fevereiro. O Executivo teve 15 dias para sancionar ou vetar a lei, entretanto não se manifestou. “Ficaram em cima do muro”, sustenta o presidente ao reforçar que o Legislativo já havia rejeitado o reajuste anual de 4,3% nos salários dos agentes políticos para esse ano.

Como argumento para a redução dos subsídios, Steffler cita economia de R$ 1,7 milhão, conforme estudo feito pela mesa diretora. Na opinião dele, o aumento do funcionalismo e diminuição na população faz com que seja necessária a preocupação com os gastos públicos.

Dificuldades na próxima gestão
O vice-prefeito Sérgio Nied ocupava o cargo de mandatário interino quando o prazo para sancionar ou vetar a lei acabou. Conforme ele, o silêncio do governo foi acordado entre os secretários e prefeito Genésio Hofstetter.

“Não fomos chamados para discutir essa mudança, por isso deixamos a cargo do Legislativo promulgar a lei”, afirma.


De acordo com Nied, o Executivo vai acatar a decisão dos vereadores. Entretanto percebe que o próximo mandatário terá dificuldades para administrar o município.

Cita o caso de funcionários concursados que terão salários maiores que o do chefe do Executivo. “O futuro prefeito terá que diminuir essas remunerações. Mas aí o servidor pode entrar na Justiça, pois tem direito adquirido,” exemplifica.

Outra dificuldade, na avaliação dos representantes do governo, será conseguir contratar secretários com a remuneração de R$ 2,6 mil.