De onde vem o lucro?

opinião

Thiago Maurique

Thiago Maurique

Jornalista

Coluna publicada no caderno Negócios em Pauta.

De onde vem o lucro?

Por

Atualizado segunda-feira,
02 de Fevereiro de 2020 às 17:10

Vale do Taquari

A organização do fluxo de caixa, tema do workshop Negócios em Pauta de fevereiro, é uma das questões mais relevantes da atividade empresarial. Somente por essa ferramenta, muitas vezes negligenciada, conseguimos aferir o lucro das atividades empresariais.

Durante o evento, uma questão paralela, apontada pelo painelista Valmor Kappler, me chamou particularmente a atenção. Segundo ele, não é pequeno o número de empresas que fazem aplicações na bolsa de valores e inserem o lucro dessas operações no fluxo de caixa, mascarando os resultados.

Isso significa que, apesar dos números aparentemente positivos, as operações, o negócio original e o motivo de ser dessas empresas, gera prejuízo. É mais uma consequência da matriz tributária brasileira, que onera a produção e a venda de produtos com altos impostos ao mesmo tempo em que isenta as aplicações no mercado financeiro – o qual não produz um prego.

Comentei essa minha preocupação com uma consultora de grande circulação em médias e pequenas empresas e ela me falou algo ainda mais preocupante. As grandes organizações pelo menos tem recursos aplicados. As menores não se perguntam de onde vem o lucro, e sim, onde ele está.

Essa é uma distorção histórica e que precisa ser resolvida de forma urgente. Caso contrário, chegará o momento em que os empresários desistirão de seus negócios para se dedicar apenas às aplicações, o que implicaria em mais desemprego. De todas as reformas necessárias para o crescimento do Brasil, a tributária é a mais urgente.

Em tempo

O setor de tecnologia do Vale do Taquari está de luto. Morreu no dia 16 de fevereiro o diretor de Tecnologia da Interact, Thomas Spriesterbach, grande referência em desenvolvimento de softwares, em especial na linguagem Java.

Tive o privilégio de entrevistar Thomas para uma matéria sobre o avanço da indústria 4.0 na região. Foi uma aula. Além de um conhecimento técnico impressionante, ele também demonstrou um carinho muito especial pelo Vale.

Nascido na cidade de Braubach, na Alemanha, ele chegou em Lajeado em 1999 e fundou a Interact ao lado de Fábio Frey. Além de gênio da programação, também ensinou um grande número de jovens profissionais que fazem parte da linha de frente do setor na região. Fará muita falta.

Boa Leitura!


Economia criativa em pauta na Univates

Alunos dos cursos de jornalismo, publicidade, fotografia e design da Univates desenvolvem neste semestre um trabalho aprofundado sobre a indústria da economia criativa no Vale do Taquari.

Liderados pela professora Elizete Kreutz, eles farão uma pesquisa com números e oportunidades do setor nas áreas de consumo, mídia, cultura e tecnologia, além de apresentar cases de empreendedores do segmento.

O trabalho faz parte da disciplina “Economia Criativa: Mercado” e também representa uma aproximação ainda maior entre o Grupo A Hora e a academia. Profissionais do Estúdio de Conteúdo da empresa darão dicas para o desenvolvimento do trabalho e depois farão uma avaliação do material produzido.

Conforme Elizete, a proposta faz parte da intenção da universidade em aproximar cada vez mais os estudantes, e a instituição como um todo, do mercado. É uma ação que atende a demanda tanto dos alunos, que buscam oportunidades, quanto das empresas, que precisam de profissionais qualificados e preparados para enfrentar a correria do cotidiano.


MARCANTE E ATUAL

“É mais fácil viver doente do que ser saudável. A pessoa pode se encostar e pegar atestados. O SUS oferece remédio e até cirurgia de graça. No entanto, não existem prêmios para quem mantém boa saúde, não entra com atestados e tem os exames em dia. Falta estímulo das empresas para que seu colaborador seja mais saudável.”

Renato Cramer
Médico oncologista do Cron durante workshop Negócios em Pauta de novembro de 2019


Passeios na Floresta Doce

A Divine Chocolates começa neste domingo, 1º de março, mais uma temporada dos Passeios na Floresta Doce. A campanha leva crianças – e adultos — para uma viagem lúdica com o tema natureza e cuidados com o ambiente.

A ação inclui um passeio pelas ruas de Encantado em um ônibus temático, seguido por um momento onde será contada a história “Mistério do Guardião”, em um espaço com decoração e personagens na fábrica da Divine. Em seguida, os participantes passam para a degustação de frutas, biscoitos e chocolates. No fim, recebem brindes da empresa.

Os passeios ocorrem até o dia 11/04, ao valor de R$ 20 por pessoa de segunda à sexta-feira, e R$ 22 nos fins de semana. Reservas podem ser feitas pelo whatsapp, no telefone 51 9837-7209.