Meu desejo para 2020: EMPATIA

opinião

Cíntia Agostini

Cíntia Agostini

Presidente do Codevat

Assuntos e temas do cotidiano

Meu desejo para 2020: EMPATIA

Por

Ter empatia significa se colocar no lugar do outro, ou seja, ter a capacidade de sentir o que o outro está sentindo, ou o que o outro sentiria estando na mesma situação. Está associada a afeição, afinidade, amizade, amor, na tentativa de compreender as emoções dos outros, e de forma racional sentir o que os outros sentem.
Ter empatia serve não somente para lidarmos com as questões familiares, pois com estes nos parece muito mais fácil compreender e nos colocar no lugar do outro, no entanto, ser empático com aqueles que não conhecemos, ser empático no trabalho e na vida, esse é o desafio.
Alguns afirmam que este será um ano bom, outros são mais pessimistas. Fato é que não é somente de cada um que depende termos um ano melhor e sim, depende de todos nós, a medida que percebemos o outro e objetivamente entendemos suas percepções e necessidades.
Cada um de nós quer algo diferente e que bom que é assim, mas o desafio está em compreender as diferenças como potencialidades, à medida que somos empáticos na nossa vida privada, somos mais felizes, vivemos mais leves, olhamos o nosso entorno com mais compaixão. Não nos custa nada ver quem está ao nosso lado, cumprimentar aqueles que nos cercam ou simplesmente sorrir.
Já em nossos negócios sermos empáticos é construirmos negócios com propósito, pois é o propósito, para além da legitima manutenção das taxas de lucros, que nos ajuda a compreender qual é o nosso papel e para quem serve o que estamos ofertando. Ter propósito recoloca os negócios e os torna mais justos.
O ano de 2020 promete taxas de crescimento econômico maiores que o ano que termina, uma economia mais estável e propostas de reformas estruturais relevantes para o país, tudo isso acontecendo contribuiu para a retomada da confiança dos consumidores e empreendedores. No entanto, ainda tratamos de 12 milhões de desempregados e uma taxa cada vez maior de pessoas consideradas pobres e extremamente pobres, assim, os desafios são imensos, do tamanho deste país continental, mas se tivermos empatia, se compreendermos mais pelo que passam os outros, podemos contribuir para que nossas vidas sejam melhores, nossos negócios tenham mais sucesso e todos possamos contribuir e receber os retornos de esforços que não são individuais e sim, coletivos.
Acabou o tempo de salientar somente a principal lei econômica, que indica que cada um agindo racionalmente em prol de seus objetivos, trará resultados mais favoráveis para o coletivo. Está mais que provado que isso não se confirma e que precisamos de mais que ações individuais e sim, de ações individuais e coletivas em prol das nossas sociedades.
Ainda, se não temos como agir em escala nacional ou estadual, façamos isso no nosso entorno. Agir no local e sermos empáticos já ajudará a todos nós sermos melhores e fazermos o melhor. Não estamos tratando de benevolência, e sim de ações concretas que contribuam com o coletivo. Se somos empáticos compreendemos de forma mais adequada as posições contrárias às nossas e podemos viver de forma mais sensata com as diferenças. Se somos empáticos percebemos melhor as necessidades e potencialidades do nosso entorno, para propormos negócios rentáveis e com propósito. Assim, o que desejo para 2020, sejamos mais empáticos.