SantaFlor

Cidade lança festa de flores e de orgânicos

Lançamento oficial ocorre hoje, às 19h, no Salão Paroquial. Programação será de 19 a 22 de setembro

Por

Cidade lança festa de flores e de orgânicos

Uma forma de mostrar à comunidade e à região os avanços na produção de alimentos orgânicos. Esse é um dos propósitos da 4ª edição da Santa Flor, marcada para 19 a 22 de setembro.
As atrações do evento deste ano serão apresentadas hoje, a partir das 19h, no Salão Paroquial. “O lançamento será uma pequena mostra de quão bela e surpreendente será nossa feira”, enfatiza a presidente do evento, Patrícia Herrmann.
De acordo com ela, há diversas novidades para este ano. Entre as atrações, estão o show nacional com a Família Lima, espaço gastronômico, salão da sustentabilidade e um pub com cervejas artesanais e orgânicas. “A feira também proporcionará muitas oportunidades de negócios, sobretudo no setor da agroecologia”, realça.
A meta é fortalecer a cultura agroecológica por meio da exposição e venda de produtos ligados ao setor e criar um espaço de debate sobre esse sistema de produção, com uma série de palestras, oficinas ou fóruns com especialistas na área.
Orgânicos
Conforme o prefeito Paulo Kohlrausch, o evento deste ano tem também o objetivo de destacar Santa Clara do Sul como uma referência em sustentabilidade e produção ecológica. A partir da programação, diz, é possível construir uma rede de negócios, prospectar investidores para que haja impacto sobre a economia local.
Em um segundo momento, frisa o prefeito, a feira pode representar ganhos com turismo e fortalecer a cultura na sociedade sobre os benefícios da agroecologia.
A corte do evento é formada pela rainha Eduarda Uebel e pelas princesas Estéfani Bald Walter e Jenifer Ruschel.
A Santa Flor 2019 tem o patrocínio da administração de Santa Clara do Sul, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Sicredi, Baldo SA, Banrisul Seja Vero, Lojas Benoit, Certel, Salva Craft Beer e Roalnet, além do apoio da Embrapa Clima Temperado de Pelotas e da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural.

Mais saúde na mesa

Em 2017, o governo lançou o programa “Santa Clara Mais Saudável”. A iniciativa é criar o hábito da alimentação saudável para os mais jovens e fortalecer a cadeia produtiva local sem o uso de agrotóxicos. Estimativa do Executivo aponta que mais de 50% de toda a merenda escolar oferecida na rede municipal tem origem no modelo agroecológico.
Dos 30 produtores de hortaliças, 15 já contam com certificado de produtos livres de agrotóxicos. Para conseguir o selo, os agricultores passaram por uma série de testes. Em parceria com o Centro e Promoção da Agroecologia (Capa) de Santa Cruz do Sul, foram feitas visitas técnicas de avaliação.

ENTREVISTA

Mais do que uma tendência, o prefeito Paulo Kohlrausch entende que a produção de orgânicos é uma realidade e um processo irreversível.
A Hora – O que a Santa Flor representa à cidade?
Paulo Kohlrausch – A Santa flor representa o desenvolvimento econômico gerado nos últimos anos e serve como oportunidade para a atração de investimentos nos setores definidos como prioritários para o município, que são a gastronomia, o turismo e as agroindústrias focadas no beneficiamento de produtos orgânicos.
Como o evento reforça os conceitos trabalhados pela atual gestão pública?
Kohlrausch – Além de ser uma feira comercial, a Santa Flor deste ano tem como diferencial a realização de seminários, oficinas e palestras para debater a agroecologia e a sustentabilidade. Estes temas estão alinhados com os programas municipais Santa Clara Mais Saudável e Santa Clara Tem Valor, que possuem na sua essência a inovação, a qual tem sido o eixo do governo municipal.
Tendo em vista as políticas voltadas à inovação, trabalhadas neste governo, como os programas de qualificação dos empresários e de incentivo à produção orgânica podem aparecer no Santa Flor?
Kohlrausch – A qualidade das estruturas e o profissionalismo dos expositores podem ser creditados, em parte, à conscientização dos empresários sobre a importância da qualidade e da excelência na condução dos seus negócios, temas que foram e continuam sendo trabalhados no programa Santa Clara Tem Valor. Já a produção agroecológica terá um espaço físico específico na feira, com estandes para comercialização de alimentos saudáveis, e será um dos temas debatidos no evento. Hoje já temos 15 famílias certificadas no município aptas a vender seus produtos de maneira orgânica. Acreditamos na alimentação saudável e na sustentabilidade.
Qual a expectativa do governo com o evento deste ano? Quais serão os diferenciais, em comparação com anos anteriores?
Kohlrausch – Temos uma expectativa muito positiva em relação à feira em função das inovações propostas. Esperamos que muitos negócios sejam efetivados, que consigamos prospectar novos investimentos para o município e que possamos nos posicionar como referência e fortalecer nossa consciência em busca da sustentabilidade.
Um dos diferenciais neste ano será a discussão sobre sustentabilidade e agroecologia. Outra inovação em relação às feiras anteriores é a constituição de uma curadoria externa para auxiliar no sentido de integração regional, manutenção no foco dessa modelo de produção como negócio e para garantir que as discussões sobre o tema tenham qualidade. Para tanto, convidamos a Cíntia Agostini, do Codevat; a Liane Klein, do Sebrae e a Cristiani Reimers, da Univates, para colaborar na realização do evento e torná-lo relevante para toda região.
 

FILIPE FALEIRO – filipe@jornalahora.inf.br