opinião

Marcos Nesello

Marcos Nesello

Empresário e arquiteto

Menos estrela e mais constelação

Por

O conhecimento é um “patrimônio” que não deve ser guardado para si e sim compartilhado. Desde o início de minha vida acadêmica, tive inúmeros exemplos desta atitude através de professores, colegas e arquitetos. Com o tempo, fui percebendo que quanto mais qualificado era o profissional mais seguro de si e generoso era em suas palavras e atitudes
Muitos anos atrás, em um bate-papo com o renomado arquiteto suíço Mario Botta, um colega o questionou se já havia vivenciado uma situação em que uma obra sua teria sido criticada por algum usuário. Muito tranquilo, respondeu que a Casa Bianchi, exaustivamente publicada em livros e revistas especializadas, tinha sido vendida pelo primeiro proprietário que a havia encomendado. O segundo morador ao vivencia-la no dia a dia detestou, curiosamente, por algumas de suas características que a tornaram mundialmente famosa. Sua conclusão: não iremos agradar a todos. Aquela troca de experiências no início de minha carreira foi impactante. Um dos ícones da arquitetura, na minha opinião, não se colocava em um pedestal, intocável. Ao longo do tempo, tive oportunidade de participar de vários encontros desta magnitude: Roberto Burle Marx, Lina Bo Bardi, Jaime Lerner e tantos outros que tinham esta característica em comum: a generosidade de compartilhar conhecimento em detrimento de um discurso de exaltação de sua obra. Levo isto sempre comigo.
O produto final da arquitetura é ,para mim, a obra construída. E para transformar papel em tijolo, precisamos de uma grande equipe. Conseguimos esta grande equipe criando um ambiente de trabalho onde todos possam revelar o seu melhor. Onde vaidade e individualidade não possuem espaço, imperando a expressão: “uma ideia é boa até surgir outra melhor”. Este processo onde não temos apenas um autor, no caso do arquiteto, mas um coordenador de equipes faz com que o resultado final seja excepcional.
Nunca estaremos em vários lugares ao mesmo tempo. As demandas exigem o cumprimento de prazos cada vez mais curtos. Só cumpriremos estes prazos em um alto grau de exigência se tivermos estes grupos a disposição. Com eles dividiremos os fardos das responsabilidades e os méritos das conquistas.
Gosto da sensação de fazer parte de várias equipes, mesclando profissionais jovens com outros mais experientes. Esta troca de energia e ideias de várias gerações enriquecem o produto final e desta forma o conhecimento vai sendo compartilhado e atualizado. Assim, a obra construída é resultado da soma da contribuição de todos que colocaram seus corações e mentes a serviço de um objetivo comum: a satisfação do cliente.