Vale do Taquari

Quatro escolas da região aderem à greve nacional

Recentes cortes do governo federal na educação são alvo dos protestos. Em Lajeado, ato ocorrerá em frente à Caixa Econômica Federal

Por

Quatro escolas da região aderem à greve nacional

Convocada pelo Conselho Nacional dos Trabalhadores em Educação do Brasil (CNTE), a paralisação do setor tem pelo menos duas atividades programadas no Vale na manhã e tarde de hoje. A greve unirá professores, servidores e estudantes e afetará o funcionamento de algumas escolas estaduais.
 
O primeiro ato está previsto para as 9h, em frente à agência da Caixa Econômica Federal, em Lajeado. Segundo o coordenador do 8º Núcleo do Centro de Professores do Estado do Rio Grande do Sul (Cpers), Gerson Johann, será feita uma concentração para chamar a atenção da sociedade em relação aos cortes na área da educação básica e superior.
 
“Parece que o governo elegeu a educação como o seu principal inimigo. O que ele visa com isso? Fazer com que o processo educacional seja mais pobre e a sociedade tenha mais dificuldades para entender o que está acontecendo”, salienta.
 
Segundo Johann, as escolas estaduais Castelo Branco e Fernandes Vieira, de Lajeado, Vidal de Negreiros, de Estrela, e de Capitão aderiram à paralisação. “Também teremos a participação de manifestantes do Instituto Federal Sul Rio-Grandense (IFSul) e, possivelmente, de um grupo de estudantes da Univates”, explica.
 

Em Taquari

Outra atividade no Vale está marcada para a tarde, a partir das 15h. O palco será a Praça São José, em Taquari. Conforme Johann, será uma manifestação voltada para as escolas daquela microrregião. Representantes do 8º Núcleo do Cpers estarão presentes.
 
Faixas, cartazes e bandeiras serão levadas nos protestos para reforçar a mobilização. Johann diz que também está preparando músicas para o ato. “Nossa categoria está começando a criar uma consciência de que precisa lutar pelos seus direitos. Todo o processo educacional está ameaçado”, alerta.
 

Segunda paralisação em um mês

Além das escolas confirmadas na paralisação, outras podem se juntar ao ato. Até o final da tarde de ontem, a 3ª Coordenadoria Regional de Educação (3ª CRE) ainda não tinha um posicionamento sobre o total de educandários que estarão fechados hoje.
 
Na Escola de Ensino Fundamental Fernandes Vieira, no Centro de Lajeado, a paralisação será total. “Nossos professores estarão participando, com cartazes e reivindicações. E não é só pela educação, é pelo país”, pontua a vice-diretora Roseli Soares. Segundo ela, estudantes da modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA) devem se unir ao protesto. O dia letivo deverá ser recuperado em um sábado.
 
Este é o segundo protesto que envolve a educação somente neste mês. No dia 2, o Cpers convocou uma paralisação em todo o Estado, tendo a adesão de 13 das 89 escolas estaduais do Vale do Taquari.
 

A greve

A greve nacional da educação unirá estudantes, professores e demais trabalhadores em educação em todo o país, principalmente nas capitais e nos grandes centros do interior. Entre as pautas do protesto, está a contrariedade à reforma da previdência, considerada prejudicial para os mais pobres, magistério e trabalhadores rurais, e contra os sucessivos cortes nas políticas educacionais, além da ameaça do fim da vinculação constitucional que assegura recursos para o setor.
 
 
 

MATEUS SOUZA – mateus@jornalahora.inf.br