Vale do Taquari

Grupo compra viagem fantasma para Porto Seguro

Entre os 22 integrantes, estavam o prefeito e os vereadores de Santa Clara do Sul e Cruzeiro do Sul

Por

Grupo compra viagem fantasma para Porto Seguro

Um grupo de 22 pessoas viajaria para Porto Seguro hoje, 15. Cada casal pagou R$ 1.998 para passar sete dias em um dos destinos turísticos mais procurados do Brasil. No entanto, as passagens nunca foram entregues pela empresa responsável pelo pacote, Sulmix Viagens e Turismo, de Campo Bom.
 
Entre as vítimas estavam o prefeito de Santa Clara do Sul, Paulo Kolhausch, vereadora Helena Herrmann, vereador Eduardo Ferla e a vereadora de Cruzeiro do Sul Anastácia Zart, além de moradores de Arroio do Meio, Mato Leitão e Ivoti.
 
As passagens foram adquiridas ainda em novembro do ano passado e deveriam ter sido entregues na última sexta-feira, porém, a proprietária da agência de viagens, Andréia Colombo, não apareceu no encontro. Ao buscar informações, as vítimas descobriram que a empresa havia encerrado as atividades.
 
Pelo menos três vítimas procuraram a Delegacia de Pronto Atendimento de Lajeado na segunda e terça-feira para registro de ocorrência.
“Tínhamos feito uma viagem com essa empresa no ano passado e fomos bem atendidos. Por isso, não desconfiamos”, conta uma das vítimas que preferiu não se identificar. Ela lamenta a situação e aguarda punição à empresa. “Havia pessoas que nunca viajaram e ficaram abaladas com essa situação. Foi uma experiência negativa”, percebe.
 
A delegada Márcia Scherer destaca que a polícia irá apurar os fatos e averiguar se há bens que podem ser resgatados da empresa para ressarcir as vítimas.

Preços ilusórios

Os pacotes foram adquiridos junto a uma empresa de Campo Bom que encerrou as atividades recentemente. O preço pago foi de R$ 2 mil por casal e o pacote daria direito a sete diárias em hotel com café da manhã incluso.
 
 

Publicação gerou críticas de internautas de diversas cidades do RS

Publicação gerou críticas de internautas de diversas cidades do RS


A reportagem ouviu uma consultora de viagens da região com mais de vinte anos de experiência. De acordo com a profissional, os valores cobrados neste caso eram ilusórios. “Nunca vi um preço deste”, disse a profissional que não quis ser identificada. Ela afirma que um pacote para casal por este período custaria entre R$ 2,5 mil e R$ 3 mil. No caso de um hospedagens quatro estrelas, o pacote custaria entre R$ 3,5 e R$ 4 mil.
 

Fechamento permanente

Na página oficial do Facebook, a empresa postou um comunicado oficial no dia 10 de maio anunciando o encerramento das atividades devido à “conjuntura do país, aumento progressivo do dólar, diminuição gradual na margem de lucro nos últimos anos e aumento dos custos” .
 
A empresa informa ainda que os questionamentos de clientes devem ser feitos pelo e-mail financeiro@sulmix.viagens.com.br e que nos próximos dias entraria em contato para “dirimir eventuais questões pendentes”.
 
A redação do Jornal A Hora tentou contato com a Sulmix Viagens e Turismo, na tarde de ontem, 14, mas não obteve retorno.
 

MATHEUS CHAPARINI – matheus@jornalahora.inf.br

FÁBIO KUHN – fabiokuhn@jornalahora.inf.br