Transporte público

Câmara protela decisão de novo

No Legislativo desde o ano passado, projeto que regulamenta o serviço fica retido outra vez. Vereadores já apresentaram onze emendas

Por

Câmara protela  decisão  de novo

Não foi dessa vez que os vereadores de Lajeado decidiram em relação ao projeto que trata do sistema de Transporte Público Coletivo da cidade. A proposta estava apta à votação na sessão de ontem da câmara, mas foi adiada novamente em função de pedido de vistas apresentado pelo vereador Paulo Tori (PPL).
 
“Recebemos aqui um documento do sindicato das empresas de ônibus. Tem 55 artigos, precisamos analisar com mais calma”, afirmou o vereador.
 
A regra atual está em vigor desde 1984, mas foi modificada ao longo do tempo. Com a nova proposta, o governo busca modernizar o sistema de bilhetagem e definir os critérios de classificação da licitação. A lei que institui as novas regras para o sistema de transporte público coletivo é necessária para a abertura de um processo para a escolha de uma empresa para assumir o serviço.
 
A discussão em torno do tema é longa. O projeto está no Legislativo desde dezembro de 2018. Chegou a ser arquivado e voltou à pauta ontem, com onze emendas apresentadas pelos vereadores. Foram incluídas medidas que dizem respeito à empresa que assumir o serviço e ao próprio município.
 
Carlos Ranzi (MDB) assina nove das emendas, sendo quatro delas em parceria com Paulo Tori e a presidente da casa, Neca Dalmoro (PDT). Uma das medidas propostas é a obrigatoriedade de instalação de ar condicionado nos veículos. Hoje, menos da metade da frota tem o equipamento. A tabela com horários e itinerários das linhas disponível no site da prefeitura e nas paradas de ônibus também estão em debate. Todos os vereadores subscrevem a emenda que define o limite da idade média da frota em oito anos.
 
para ruim lajeado
Uma das principais alterações no serviço propostas pelo governo é a definição de que uma única empresa ficará responsável pelo transporte público coletivo no município. Hoje, duas empresas dividem o serviço em Lajeado.
Deve ser criada ainda uma linha circular integrando postos de saúde, Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e Hospital Bruno Born. A medida, que já era estudada pelo Executivo, é tema de uma das emendas.
 

Projeto sobre canudos plásticos também é adiado

A matéria que proibia a distribuição de canudos e copos plásticos descartáveis também teve a votação adiada. De autoria do vereador Adi Cerutti (PSD), o texto teve pedido de vistas de Sérgio Kniphoff (PT).
 
De acordo com a proposta, os produtos só poderão ser fornecidos em caso de solicitação do cliente. A proibição tem algumas exceções. Não se aplica a canudos de papel ou de material biodegradável embalados individualmente com material semelhante.
 
O texto prevê permissão do uso do material em casos de atendimento de pessoas com deficiência ou que precisem temporariamente de canudo para sorver líquidos. Caso seja aprovada, a matéria prevê multa e outras penalidades e estipula um prazo de 180 dias para adequação.
 
 

 

MATHEUS CHAPARINI – matheus@jornalahora.inf.br