Muito prazer

Boa Na terra, ótima No asfalto

Nova Yamaha Lander conserva qualidades e acrescenta conforto

Por

Boa Na terra, ótima No asfalto

Criada em 2006 especificamente para o mercado brasileiro, com uma proposta de rodar na terra e no asfalto, a Lander é uma das motos de maior sucesso na história da Yamaha no país, com mais de 103 mil unidades vendidas. Agora batizada de Yamaha XTZ 250 Lander ABS 2019, a nova geração do modelo chegou ao mercado em janeiro.
 
Consultor de vendas da Ciclovia Yamaha, Douglas Adams destaca a confiança no motor, economia, leveza e conforto ao pilotar. “A Lander 250 é feita para quem anda em estrada de chão e ao mesmo tempo gosta de fazer longas viagens”. O consultor considera que a moto tem uma boa procura na loja. “Desde seu lançamento, nosso estoque está sempre movimentado”.
 
Além de ser uma moto agressiva e robusta, o cliente terá custo baixo de consumo, revisões com preço fixo, peças de reposição da linha Y-Tec, originais Yamaha e fabricadas no Brasil. O cliente ainda pode contar com os 4 anos de garantia, independente da quilometragem. “Além de ser uma moto ágil, é pratica para o dia a dia”, complementa Adams.
 

Detalhes

Nas cores azul, branca e preta, e equipada com um novo quadro, freio ABS dianteiro, farol e lanterna de led, a moto é confortável, ágil no trânsito e fácil de mudar de trajetória durante a condução.
 
Com 11.018 unidades emplacadas em 2018, a nova Lander manteve as qualidades dinâmicas e a proposta fora de estrada da geração anterior. Já o design foi inspirado na prima maior, a XT 660R. Na dianteira, o visual robusto é reforçado pelo novo para-lama dianteiro, pela carenagem que contorna o farol e pelos protetores dos amortecedores.
 
Na lateral, destacam-se as abas do tanque redesenhado, que teve ainda a sua capacidade aumentada de 11 para 13,6 litros. O que garante autonomia de 408 quilômetros para rodar na cidade.
 
O bom nível de conforto é assegurado pelo assento mais largo e com espuma mais rígida herdado da descontinuada Yamaha Ténéré 250. O banco acolhe bem tanto o piloto quanto o garupa, inclusive em deslocamentos mais longos. A característica combinada com o guidão um pouco mais elevado em relação à anterior, confere uma posição de pilotagem mais natural e agradável.
 
A moto da Yamaha entrega um bom rodar até em ruas esburacadas. Isso porque as suspensões copiam as imperfeições do asfalto. São 220 mm de curso na dianteira e 204 mm de curso na traseira. O assento com 875 mm tem altura elevada, o que encaixa melhor com pilotos altos.
 
Na dianteira, a suspensão conta com tubos de 41 mm de diâmetro. Enquanto na traseira há um sistema monoamortecido equipado com amortecedor único a gás, ajustável na compressão da mola. Para ajudar a absorver os impactos, e dar estabilidade, as rodas de 21 polegadas na dianteira e 18 polegadas na traseira calçam pneus Metzeler Tourance 80/90 R21 na frente, e 120/80 R18 atrás.
 

Para a estrada e a terra

O conhecido motor monocilíndrico, de quatro tempos, flex, adotou um sistema de injeção eletrônica com injetor de 10 furos. O propulsor refrigerado a ar de 249,5 cm³ gera 20,7 cv (gasolina) e 20,9 cv (etanol) a 8.000 rpm, e 2,1 kgfm (gasolina ou etanol) a 6.500 rpm. O câmbio de cinco velocidades oferece precisão nas trocas de marcha.
 
O motor dá conta de empurrar bem a motocicleta com dois ocupantes, mesmo em ladeiras mais íngremes. As melhores respostas em acelerações e retomadas são fruto do novo sistema de injeção, que melhorou a relação de mistura de ar e combustível.
 
Girando o punho direito, a moto se mostra ágil e fácil de mudar de direção no trânsito, mesmo com alguém na garupa. Parte desse mérito vai para o novo chassi de aço feito em dupla trave superior com berço duplo feito para acomodar o banco da Ténéré 250 e o novo tanque. A silhueta alta e esguia torna fácil a passagem pelos corredores em engarrafamentos.
 
Em termos de segurança, a introdução de sistema de freio ABS na roda dianteira deixou as frenagens da nova Lander mais eficientes. O conjunto é servido de disco de 245 mm de diâmetro com pinça de dois pistões na frente, e de disco de 203 mm de diâmetro com pinça simples na traseira.
 
A adoção de farol de LED trouxe maior poder de iluminação, principalmente à noite. Enquanto a nova lanterna, também de LED, conferiu um toque de modernidade ao conjunto ótico. O painel 100% digital tem um bom acabamento e oferece boa leitura, agora conta com indicadores de consumo instantâneo e média de consumo. A tela exibe ainda velocímetro, hodômetro total e parcial, relógio e tacômetro. Além de luzes espia das setas, farol alto e neutro.
 
Com as alterações, a nova Yamaha XTZ 250 Lander ABS 2019 ficou mais segura e bonita. Atributos suficientes para fazer da trail uma das melhores motos do segmento. A moto segue a receita que a consagrou como um modelo de uso misto versátil, confiável e robusto, mas agora com mais conforto e algumas atualizações importantes.