Lajeado

Cine Rua estreia com sessão lotada no Florestal

O evento ocorreu na escadaria da Travessa Wanda Maria Ruschel

Por

Cine Rua estreia com sessão lotada no Florestal

Nos degraus da escadaria que liga as ruas Pedro Albino Müller e Duque de Caxias, cerca de 120 pessoas assistiram o filme “Era o Hotel Cambridge”. O primeiro Cine Rua ocorreu na sexta-feira passada, na escadaria da Travessa Wanda Maria Ruschel, no bairro Florestal. Esta é uma iniciativa do coletivo Rola Rolê em parceria com o Sesc Lajeado e o Clube de Cinema do Vale do Taquari, com apoio da administração municipal e da Salva Craft Beer.
 
Segundo um dos integrantes do coletivo, Josué Delazeri, 25, o filme exibido é brasileiro, e conta a história de uma ocupação em São Paulo. Retrata um edifício abandonado que abriga refugiados e brasileiros, mostrando essa relação dentro da ocupação.
 
A iniciativa do Cine Rua busca aproveitar, ressignificar e fazer as pessoas conhecerem um pedaço da cidade que, por algum motivo, acaba sendo esquecido.
 
O objetivo é também trazer o cinema a um lugar democrático. “Assim a comunidade pode aproveitar uma noite agradável com troca de ideias. Esses dois motivos, para nós, funcionam muito bem juntos”, explica Delazeri.
Quem foi assistir, usou a escadaria como arquibancada. Algumas pessoas também trouxeram cadeiras e almofadas.
 

12_AHORAColetivo Rola Rolê

Delazeri conta que o coletivo surgiu com uma forma de divulgar eventos que ocorrem na região. Coisas que o grupo achava legal e queria compartilhar. “Agora já estamos criando os nossos próprios eventos”, ressalta.
 
Também membro do coletivo, Marina Helena Müller, 23, explica que o grupo foi criado em abril do ano passado, primeiro na rede social Instagram. “Nós divulgávamos semanalmente o que acontecia da cidade”, lembra.
 
No fim do ano passado, o coletivo criou o projeto Pedal da Deriva. A iniciativa propõe ocupar espaços públicos com bicicletas. “Por isso, semanalmente pedalamos em algum lugar da cidade”, explica. A ideia é também incentivar a atividade como meio de transporte, além da prática esportiva.
 
Segundo Marina, o Cine Rua foi pensado especificamente para a Travessa Wanda Maria Ruschel, porque poucas pessoas conheciam o local. Mesmo os moradores da proximidade, na pressa, acabavam não notando a existência do beco, ou não davam importância.
 
“Foi bacana ver tantas pessoas reunidas. Fomos muito elogiados pelos vizinhos”, destaca Marina. O Clube de Cinema do Vale do Taquari foi o intermediário entre o coletivo e o Sesc Lajeado, que forneceu o equipamento de som e o telão para a exibição do filme. Além disso, a obra escolhida foi da cinemateca do Sesc, que tem cerca de 250 títulos. O filme foi escolhido de forma online por meio da página do evento no Facebook.
 

BIBIANA FALEIRO – bibiana@jornalahora.inf.br