Lajeado

VestVates abre inscrições para turma de 2019

Nota média dos alunos do cursinho no ENEM do ano passado foi de 886 na redação

Por

VestVates abre inscrições para turma de 2019

Sorrisos de conquistas e gratidão são as recompensas recebidas pelos tutores responsáveis pelo VestVates durante um ano inteiro. Depois de terem a aprovação de alunos em universidades federais e particulares do estado, e, ainda no aguardo de mais resultados, as inscrições para a turma deste ano estão abertas até o dia 10 de fevereiro às 23h55.
 
Lucas Vieira, 21, é estudante de medicina, e é um dos idealizadores do cursinho pré-vestibular. Ele conta que esse é um programa de extensão da Univates sem custo para os alunos, a fim de conseguir ajudar os jovens provenientes da rede pública de ensino e que sejam desfavorecidos social e economicamente.
 
“As aulas acontecem todos os dias de segunda a sexta-feira das 19h10 às 22h40 na Univates, além de alguns sábados de revisão que geralmente são abertos ao público”, explica.
 
A cada ano são abertas turmas de 30 alunos que passam por duas etapas de um processo seletivo. A primeira delas é feita no site do VestVates por meio da inscrição, onde os candidatos devem colocar informações socioeconômicas, valendo 80% do processo. A segunda etapa consiste em uma prova cognitiva que será realizada dia 16 de fevereiro na Univates, a partir das 13h15.
 
Segundo Vieira, serão 60 questões de matriz básica do ensino médio convertidas em 20% da nota total do processo seletivo. Os candidatos que entrarem na turma deste ano, devem comprovar os dados socioeconômicos na hora da matrícula.
“Este é o terceiro ano do cursinho, que começou em 2017, de uma forma diferente, era apenas revisão para o vestibular”, conta. Este ano o cursinho é em forma de aulas do mês de fevereiro até dezembro.
 

Resultados de 2018

 
Leonardo da Rosa, 23, também é estudante de medicina e um dos coordenadores do VestVates, e vê este ano iniciar com saldo positivo para os alunos do cursinho.
“Estou muito feliz com o desempenho dos alunos, todos de escolas públicas. Tivemos 22 dos 25 alunos com mais de 800 pontos na redação, sendo em 2017, a média de 550”, comemora. Desses 22 alunos, 12 obtiveram nota acima de 900 na redação, número que contabiliza 2% do total de 4 milhões de alunos que prestaram a prova.
 

Cuidado ao próximo

 
“Para mim não tem projeto mais bonito do que o VestVates”, conta Vieira. Ele que será médico no futuro, acredita que a humanização deve começar nesses processos básicos e indispensáveis como a educação.
 
“Não sei descrever a importância do projeto e o que significa transformar famílias por meio da educação”, ressalta. Durante o ano inteiro, muitas histórias que se misturam dentro de sala de aula são reflexos de exemplo e superação. Como a da Maria Nilce, que entrou para o curso de enfermagem depois dos 50 anos de idade. Ou a do Renan, um menino muito dedicado de Venâncio Aires que passou no vestibular da UFRGS em engenharia química.
 
“Criamos vínculos muito fortes com todos que passam pelo cursinho. Ao todo já foram cerca de 70 alunos desde 2017”, explica. No fim do ano passado, a turma de 2018 fez uma homenagem aos professores no encontro de encerramento.
 

BIBIANA FALEIRO – bibiana@jornalahora.inf.br