Especial - Colono & Motorista

Fé na proteção de São Cristóvão move motoristas

Em Lajeado, cerca de 2,6 mil veículos foram abençoados na festa em honra ao santo

Por

Fé na proteção de São Cristóvão move motoristas
Vale do Taquari

A Paróquia São Cristóvão registrou recorde de participação na procissão da 50ª Festa dos Motoristas, realizada no domingo, 22. O número de veículos que percorreram as principais ruas de Lajeado chegou a 2,6 mil.

A bênção realizada por freis e ministros ocorreu nas proximidades da Univates. Iniciou por volta das 9h30min e se estendeu até as 13h30min. “Foi uma das maiores procissões que já vi. O normal era terminar a bênção antes do meio-dia”, conta o frei Flávio Guerra.

Para ele, a devoção ao padroeiro e a crença na bênção se intensificam hoje, quando o trânsito se mostra mais perigoso. “As pessoas se sentem mais seguras quando têm os veículos abençoados”, percebe.

Padroeiro dos viajantes

São Cristóvão nasceu com o nome de Réprobo e foi um guerreiro conhecido pela força e bravura. Conta a lenda que Réprobo servia o rei de Canaã, mas se deu conta que deveria trabalhar para o maior rei de todos.

Nessa busca, serviu um rei mais poderoso e o demônio até perceber, mais tarde, que Jesus Cristo era a pessoa mais poderosa do mundo. Réprobo começou a busca pelo novo senhor e nesta caminhada encontrou um velho eremita que lhe sugeriu ir até a beira de um rio perigoso e auxiliar os viajantes na travessia.

O guerreiro fazia o serviço dia e noite na esperança de encontrar Cristo. Em uma noite, foi chamado por uma criança. Ao atravessá-la pelo rio, percebeu que o jovem ficava cada vez mais pesado como se o mundo inteiro estivesse sobre os seus ombros. Na chegada, o menino revelou ser Cristo.

A partir disso, o guerreiro foi batizado como Cristóvão (aquele que carrega Cristo). Acredita-se que São Cristóvão manteve a devoção em Cristo, sendo preso e decapitado por isso. Esse fato fez com que muitas pessoas se convertessem à religião devido à fé de Cristóvão.

Proteção divina

Eu participo para benzer o caminhão e ter mais motivação para trabalhar mais um ano. Trabalho como caminhoneiro faz 10 anos e tenho carreta desde os 21. Acredito que a bênção pode proteger a gente na estrada.
Jonathan Schwarz, Lajeado

jonathan shwartz

 

Todo ano eu venho para a procissão e bênção para correr bem o ano. São Cristóvão já me protegeu muito nas viagens e acredito muito nisso.
Celso Antônio Urnal, Lajeado

celso urnal

Trabalhei como caminhoneira há seis anos e foi uma experiência diferente e muito gratificante. Participo todos os anos da procissão e acredito que na estrada a gente sempre precisa dessa bênção divina.
Angélica Rosenbach, Lajeado

angelica rosenbach

Fábio Alex Kuhn: fabiokuhn@jornalahora.inf.br