Haitianos celebram Dia da Bandeira

Encantado - O HAITI é AQUI

Haitianos celebram Dia da Bandeira

Longe da pátria, imigrantes deram demonstração de amor ao país de origem. Em comemoração ao Dia da Bandeira, haitianos percorreram o centro de Encantado para celebrar a data acompanhados da bandeira do município e do Haiti em mãos, como forma de agradecer pela recepção dos brasileiros.

Por

Haitianos celebram Dia da Bandeira
Encantado
Imec - Lateral vertical - Final vertical

O Dia da Bandeira é uma data importante para o povo do Haiti. Representa a libertação do país, colônia francesa até 1803. Longe da pátria, haitianos foram às ruas de Encantado celebrar a história e a tradição.

A data é celebrada em 18 de maio, mas como no Brasil neste ano caiu em uma sexta-feira e não é feriado aqui, os imigrantes comemoraram o feito nesse domingo. A programação iniciou com um desfile em frente ao Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação (STI Alimentação), passaram em frente ao Hospital Beneficente Santa Terezinha e seguiram pela rua Júlio de Castilhos até o Salão Paroquial.

O desfile teve início com o Hino do Haiti. Em posição de sentido os haitianos cantavam junto. Ao longo do caminho palavras de ordem e que representam a importância da data eram propagadas em voz alta, junto com passos de dança que também faz parte das comemorações do Dia da Bandeira.

13_AHORA

Aos poucos mais gente foi se juntando para acompanhar o cortejo. Um carro de som tocava músicas típicas do Haiti.

Moradores de Encantado ficaram surpresas com o ato. Em meio aos sorrisos e aplausos, as pessoas tiravam fotos e filmavam para registrar o momento.

“A nossa bandeira é o nosso orgulho e a nossa identidade”, diz o haitiano Jempson Duperval, 27. Ele mora faz quatro anos e meio em Encantado.

Para ele, a maior dificuldade foi se comunicar. “Não foi nada fácil. Não sabia nada do português. Falamos francês, crioulo e inglês. Aos poucos fomos nos familiarizando com o povo brasileiro. Eles abriram as portas para nós e nos aceitaram”, enfatiza.

Após o desfile, a comemoração continuou no Salão Paroquial. Teatro, música, dança, história, comidas típicas como a banana verde frita fizeram parte da festa. Além de haitianos, amigos deles de Encantado também prestigiaram a programação.

Comitê

Estima-se que a cidade tenha 500 haitianos. Para promover e organizar eventos assim e representar essa comunidade de imigrantes, eles criaram um comitê. Ainda em fase de estruturação, o grupo busca manter e valorizar a cultura e os costumes do povo caribenho.

Conforme um dos integrantes, Charles Ferdinot, 29, após a destruição do país devido ao terremoto, muitos precisaram sair do Haiti para buscar trabalho e formas de sobreviver. “Viemos procurar trabalho. Mandamos parte do dinheiro que recebemos para podermos ajudar as nossas famílias que ficaram lá”, comenta.

Bandeira de Encantado e ao lado a do Haiti. Imigrantes mostram patriotismo e agradecem os moradores de Encantado

Bandeira de Encantado e ao lado a do Haiti. Imigrantes mostram patriotismo e agradecem os moradores de Encantado

O haitiano destaca que gosta de Encantado, onde já vive há três anos. Aqui também teve oportunidade de fazer um curso técnico em contabilidade no Instituto Estadual Monsenhor Scalabrini.

A preocupação com os estudos e com adquirir conhecimento é uma constante na vida desse povo que fala diversas línguas. A jovem Megusta Pierre Louis, 26, fala português, francês crioulo, inglês e espanhol. Seu sonho é cursar enfermagem.

Ela está indo para Chapecó com o marido e a filha de um ano, Cristel, nos próximos dias. Segundo ela, lá tem mais oportunidades nessa área.

Sobre a vinda para o Brasil, há três anos, a comida e a temperatura foram os dois aspectos que mais a impactou. “Lá não tem muito frio como aqui”, resume.

Gisele Feraboli: gisele@jornalahora.inf.br