opinião

Raquel Winter

Raquel Winter

Professora e consultora executiva

Letras que inspiram

Por

Tem uma música do Skank que eu acho muito bacana e que tem um trecho dizendo o seguinte:
“ Quando muito ainda é pouco
Você quer infantil e louco
Um sol acima do sol
Mas quando sempre
É sempre nunca
Quando ao lado ainda
É muito mais longe
Que qualquer lugar…”
Nossa! Essa letra é demais! Parece que o cara conseguiu resumir todos os nossos mimimis, nossas âncoras, nossas desculpas e fugas em algumas palavras que dariam enredo para um livro. Quando ouço as pessoas dizerem que estão exaustas, sem perspectivas ou lamentando que não suportam mais o trabalho, o casamento, a solidão ou a canção que embala sua vida, sempre penso comigo: mas o que falta então para que essa pessoa mude o rumo? Agora entendi. O muito ainda é pouco.
Todavia, a resposta mais óbvia que a letra me entregou foi para os casos em que inevitavelmente a desilusão toma conta do pedaço. Há pessoas que, mesmo com todas nossas apostas, esperanças, incentivos e apoio, sempre nos desiludem, nos deixam no vácuo, nos ocultam a verdade. Sempre não correspondem. Agora entendo o que já passou da hora de entender. Para elas, o sempre, sempre é nunca.
Mas o melhor dos insights ainda estava por vir. Aquele que me mostrou o quanto a conexão, a ausência da solidão, a fusão das almas define a sensação de distância. Quanto mais se deseja, mais se ama, mais perto se quer. E neste caso é quando ao lado ainda é muito mais longe que qualquer lugar.
Para aquela parte da letra que diz “um sol acima do sol” só consigo imaginar uma coisa associada à muita luz. Aquela luz que ilumina, inunda, invade, preenche, transborda e nos alimenta. Aquela luz que vem de dentro, do alto, do infinito. Essa luz só pode ser Jesus. Ops, parece que agora a canção já não é do Skank.