Uber chega ao Vale e começa por Lajeado

Lajeado - novidade no transporte

Uber chega ao Vale e começa por Lajeado

Um motorista está cadastrado no serviço de mobilidade por aplicativo. Motivo de polêmica e discussão país afora, o serviço de transporte de aplicativo da Uber começou a operar em Lajeado no sábado passado. É a primeira cidade da região contemplada com a nova opção de transporte. Cidades como Santa Cruz do Sul e Venâncio Aires já dispõe do serviço faz mais tempo. Além de Lajeado, Arroio do Meio, Teutônia, Estrela e Encantado também podem operar o serviço. Até ontem, ainda não havia motorista cadastrado

Por

Uber chega ao Vale e começa por Lajeado
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

O morador do bairro Igrejinha, Paulo Walter, 47 anos, é o primeiro Uber da cidade. Ele começou a dirigir pelo aplicativo desde sábado, quando a empresa começou a operar na cidade. Segundo ele, faz uma média de 10 corridas por dia.

Reportagem do A Hora testou o serviço. O trajeto da redação, na avenida Benjamin Constant 1034, no Centro, até o Centro Cultural Univates, na avenida Talini, no Universitário, custou R$ 6,64 usando Uber. No retorno, pelo mesmo percurso, a cobrança em um táxi da cidade foi de R$ 18,85. O montante chega a quase 65% de acréscimo no valor cobrado pelo aplicativo.

Somente a arrancada de um táxi, na bandeira 1, tem custo de R$ 5,90 no município. Ou seja, o gasto da bandeirada representou 88,85% do custo total da viagem usando o Uber no mesmo trajeto.

No entanto, dos R$ 6,64 ganhos pelo motorista do aplicativo, 25% do valor é destinado a Uber, neste caso, em torno de R$ 1,66 – somando-se a isso, Paulo teve gasto de combustível e a depreciação do veículo, que não são pagos pela empresa de aplicativo.

Dois anos de espera

Apaixonado por Lajeado, Paulo Walter revela que aguardou a operação do Uber na cidade por dois anos. Nos últimos 12 meses, trabalhou como motorista de aplicativo na Capital, mesmo morando no Vale. No total, já soma mais de 6 mil viagens na Uber.

“Ia e voltava todos os dias com o carro vazio”, conta. “Em Porto Alegre, fazia umas 30 corridas por dia. Aqui ainda tá devagar, mas logo melhora”, diz.

Com o primeiro cadastro na Uber feito em São Paulo, Paulo Walter pode dirigir pelo aplicativo em qualquer cidade do Sul do país em que a empresa opere.

“Estou regularizado na Uber. Cabe a prefeitura fazer a legislação do transporte de aplicativos na cidade”, comenta.

Pai de três filhos e avô de um neto, trabalhando 12h por dia, a expectativa de Paulo Walter é tirar até R$ 4 mil mensais dirigindo pelo aplicativo.

08_AHORA

Custos do taxímetro

Para o taxista Cleo Petrini, 39, com mais de 20 anos de profissão, o mercado de Uber em Lajeado é um mau negócio. “É uma cidade pequena. Diferente da Capital onde o giro de passageiros é muito maior”, diz. Segundo ele, além da falta de clientes para aplicativos na cidade, é inviável para um motorista cobrir os custos não pagos pela Uber.

“Aí você imagina, com este preço de combustível, um motorista saindo do Centro e indo até o bairro Santo Antônio buscar alguém. É provável que volte sozinho”, exemplifica.

Diferente da taxa por viagens de 25% pagas por motoristas da Uber para a empresa, no táxi, são pelo menos quatro fiscalizações e aferições do Inmetro em taxímetros por ano, em Lajeado. “Cada vez que passamos por alguma regularização, pagamos taxas que podem chegar a mais de R$ 200”, lamenta Cleo.

De acordo com o taxista, que costuma trabalhar das 7h às 22h, no fim do mês o salário pode chegar a até R$ 6 mil.

O sindicato

Questionado sobre o posicionamento em relação a operação de motoristas da Uber em Lajeado, o Sindicato dos Taxistas não quis se manifestar.

Lajeado tem 62 permissionários do serviço de táxi.

A Uber

A Uber iniciou a operação em Santa Cruz do Sul, no dia 23 de fevereiro. Cidades próximas do Vale, como Venâncio Aires, Vera Cruz e Candelária também passaram a disponibilizar o serviço na mesma data. Segundo a empresa, nestes municípios é possível ter motoristas e usuários do aplicativo.

Lajeado entrou na rota do negócio de aplicativos de transporte no sábado e é a primeira cidade da região a ter o funcionamento pleno do serviço. Estrela, Teutônia, Arroio do Meio e Encantado também passaram a contar com motoristas de aplicativos, porém, ainda sem registro de usuários.

Segundo a Uber, a presença do aplicativo em cidades do Vale faz parte do plano de expansão da empresa. “Lajeado foi eleita a mais desenvolvida do Rio Grande do Sul Pela Firjan”, reconhece a Uber em nota.

Pela manhã de ontem, em Lajeado, pelo menos três carros funcionavam pelo aplicativo: um na cidade, outro na RS-130 e mais um na BR-386.

“Os que estavam em rodovias eram motoristas de fora que trouxeram passageiros para a cidade. Tenho certeza absoluta que, por enquanto, sou o único motorista da Uber de Lajeado”, garante Paulo Walter.

A prefeitura

De acordo com o governo, como a Uber é uma atividade que, de acordo com informações preliminares, está apenas iniciando no município, a administração irá acompanhar sua evolução para definir acerca de eventual regulamentação e fiscalização do serviço no âmbito municipal, seguindo o que diz a lei federal 13.640, de março deste ano, que trata do assunto.

Em um táxi, trajeto feito no aplicativo da Uber que custou R$ 6,64, foi cobrado em R$ 18,85 no taxímetro

Em um táxi, trajeto feito no aplicativo da Uber que custou R$ 6,64, foi cobrado em R$ 18,85 no taxímetro

Quanto custa a viagem na Uber?

O preço de viagens pela Uber varia de acordo com a distância e o tempo. Outros itens também entram no cálculo, conforme explicado abaixo. Ao final de cada viagem, os usuários recebem um recibo com o descritivo dos itens que fazem parte do valor final. Também é possível estimar o valor das viagens no site da Uber.

Os preços do Uber (modalidade mais barata) em Lajeado: R$ 2,00 preço base + R$ 1,10 (p/ km) + R$ 0,15 (p/ minuto)

Preço mínimo e taxa de cancelamento: R$ 6 Custo fixo: R$ 0,75

Quanto custa a viagem no Táxi?

Em Lajeado, o quilômetro rodado da Bandeira 1, que funciona das 6h às 22h, é de R$ 3,70. A Bandeira 2, que funciona das 22h às 6h, custa R$ 4,30. O valor da Bandeirada, que é o valor inicial a partir do qual começa a cobrança, R$ 5,90. O valor da hora parada, é de R$ 21,00.

Aos domingos e feriados, fica estabelecido o uso da Bandeira 2 durante as 24h.

Os serviços por chamada telefônica são embandeirados no horário de partida do táxi.

Cristiano Duarte: [email protected]