Candidatos apostam no acesso asfáltico para o desenvolvimento

Boqueirão do Leão

Candidatos apostam no acesso asfáltico para o desenvolvimento

Economia é impulsionada pela agricultura. No Valor Adicionado, setor corresponde a 45%. Desenvolvimento está atrelado à conclusão dos acessos asfálticos. Melhoria oportunizaria a entrada de novos investimentos e promoveria expansão do turismo. Luiz Augusto Schmidt (PDT) busca a reeleição. Ademir…

Por

Candidatos apostam no acesso asfáltico para o desenvolvimento
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Economia é impulsionada pela agricultura. No Valor Adicionado, setor corresponde a 45%. Desenvolvimento está atrelado à conclusão dos acessos asfálticos.

Melhoria oportunizaria a entrada de novos investimentos e promoveria expansão do turismo.

Luiz Augusto Schmidt (PDT) busca a reeleição. Ademir Dalbosco (PSB) é o vice da chapa composta por três partidos – PDT, PSB e PTB.

Paulo Joel Ferreira (PMDB) e Dil Marcos Richesky da Silva (PMDB) fazem parte da coligação oposta. Os peemedebistas contam com apoio do PT e PSDB.

PrintLuiz Augusto Schmidt (PDT)

Tem 46 anos. É o atual prefeito do município.

Paulo Joel Ferreira (PMDB)

Tem 49 anos. Ele é agricultor.

Um dos principais gargalos da infraestrutura é a conclusão dos acessos asfálticos. Como irá viabilizar essa demanda?

Luiz Augusto Schmidt (PDT) – Assinamos a retomada da ligação asfáltica de Boqueirão até Sério. Logo teremos nossa primeira ligação asfáltica. Quanto à ligação com outros municípios, se tem um projeto, mas isso é um sonho diante do momento econômico. A conclusão do primeiro acesso vai alavancar a economia e dará oportunidade de desenvolver vários projetos e promover diversificação.

Paulo Joel Ferreira (PMDB) – As obras já recomeçaram e devem ser concluídas até o próximo ano. Nossa preocupação é com o passo seguinte. Quando o asfalto chegar, precisamos pensar nas ações para desenvolver Boqueirão do Leão, de forma social e econômica. Duas situações estão bem claras: o turismo é uma grande aposta e a diversificação da produção agrícola.

O saneamento básico apresenta deficiências. Pelo menos 67% das residências têm fossas rudimentares? Como aperfeiçoar o sistema?

Schmidt (PDT) – As demandas que envolvem o saneamento básico não vêm de hoje, são de vários anos. Lá em 2012, quando fui candidato, isso era apontado como um problema grave na questão do saneamento básico. Fizemos junto com o G8 o Plano Municipal de Saneamento Básico. Foi feito o diagnóstico, as audiências públicas. Por meio desse plano, vamos buscar recursos para atender a população.

Ferreira (PMDB) –  Em 2012 tínhamos pronto um projeto global de esgotamento sanitário no perímetro urbano. Queremos retomar esse projeto para solucionar esse problema existente na cidade. Quanto à área rural, entendemos que é possível haver um incremento substancial no atendimento dessa deficiência como já fizemos em outras oportunidades.

Município tem potencial turístico. Esse setor está sendo explorado de forma adequada? Como impulsionar área?

Schmidt (PDT) – Acredito que podemos explorar ainda mais este setor. Recuperamos os acessos até os pontos, mas é necessário investir mais, mas com cautela. Temos bons hotéis e restaurantes, mas nossa maior dificuldade ainda é a ausência de ligação asfáltica. Nossa turismóloga do G8 tem realizado um ótimo trabalho. Ficamos distantes 180 km da nossa capital e para chegar até aqui é necessário, no mínimo, um asfalto.

Ferreira (PMDB) – Entre 2005 e 2012, foi dada atenção especial ao desenvolvimento do turismo. Um exemplo é a Expo Bol, Festa da Polenta, Feira do Livro e apresentações culturais. Pretendemos criar mais eventos e incentivar a participação da iniciativa privada e desenvolver parcerias. Com a conclusão do acesso asfáltico, podemos expandir setor. Estamos a menos de três horas de Porto Alegre. Esse trabalho é em conjunto com todos os municípios do G8.

Como fortalecer o setor primário, diversificá-lo e romper a dependência do tabaco?

Schmidt (PDT) – Faz anos que Boqueirão tem fortalecido o setor primário por meio da criação de cooperativas, associações de produtores, incentivando o setor leiteiro e a suinocultura. Mas vejo que não existe nenhuma outra atividade que seja tão rentável quanto o fumo para as pequenas propriedades. Isso dificulta muito a diversificação. Acredito que a dependência do fumo vai demorar um bom tempo ainda porque ele é rentável.

Ferreira (PMDB) – Vamos incentivar a criação de novas associações de produtores e auxiliar na distribuição de equipamentos. Incentivaremos a Cooperativa Leo-Boqueirense de Agricultores Familiares (Cooperlaf) que congrega mais de 40 famílias. Será incrementado o modo de desenvolvimento com muito afinco na próxima administração.

A renda é distribuída de forma desigual. Quais medidas adotará para ampliar a oferta de empregos e reduzir disparidade?

Schmidt (PDT) – Oferta de emprego é um problema histórico. Temos pouca oferta de emprego. Os jovens vão estudar, se formam e ficam fora do município por não encontrarem oportunidade. Trazer uma grande empresa passa pela necessidade de ter um bom acesso asfáltico. Acredito que o futuro de Boqueirão está atrelado à conclusão desses acessos. Vejo que ligação asfáltica é um ponto importante para que possamos buscar mais alternativas para a população.

Ferreira (PMDB) – A distribuição de renda tem caráter cultural. Quase metade das famílias trabalham no cultivo do tabaco e, boa parte, são meeiros. Vamos incentivar a qualificação dessas pessoas, para que possam ser pequenos empreendedores, inclusive na área rural. Temos várias agroindústrias e podemos ampliá-las com a produção de hortifrutigranjeiros, mel, fruticultura e uma gama de produtos para vender na região.

Acompanhe
nossas
redes sociais