Cédulas manchadas são retidas nos bancos

Notícia

Cédulas manchadas são retidas nos bancos

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Em todo o país, circulam notas manchadas de rosa pelos mecanismos antifurto de caixas eletrônicos que são acionados durante arrombamentos. Este dinheiro inutilizado deve ser retido pelas instituições financeiras para análise do Banco Central (Bacen) em um prazo máximo de 30 dias. Se comprovada a presença da tinta padrão, o ressarcimento ocorre para valores sacados em caixas eletrônicos.

Ontem, foram apreendidas seis notas manchadas na Caixa Econômica Federal (CEF) de Lajeado. Elas começaram a aparecer no dia 27 de maio. Desde então, somam 30. Ainda não há confirmação sobre quantas delas são produto de furto.

mancha

O gerente Adílson Johann considera a quantidade de notas retidas uma “enxurrada” pelo pouco tempo de utilização do processo de segurança denominado “entintamento”. A primeira decisão do Bacen sobre o tema permitia o reembolso ao cliente no momento da retenção da cédula. Desde o dia 1º de junho, a possibilidade foi extinta.

Segundo ele, em qualquer situação em que se percebe a mancha na nota, ela não deve ser aceita. A maioria em circulação é de R$ 50 e R$ 100. “As de R$ 10 começaram a aparecer nesta semana.” A situação é parecida em outras instituições financeiras da região.

O procedimento adotado pelos bancos é pegar os dados da vítima e ceder um comprovante de que a nota foi entregue. Depois da avaliação do Bacen, caso as manchas sejam, por exemplo, de esmalte ou de outras tintas, uma nova é oferecida.

Caso forem recebidas de caixas eletrônicos, o correntista deve tirar um extrato da operação e comunicar o fato ao banco. Se não for possível fazer isso, a orientação é registrar a ocorrência em uma delegacia e voltar munido deste documento. Em casos de falha da instituição financeira, o cliente deve ser ressarcido pelo banco sob pena de multa aplicada pelo Procon.

Segundo dados do Bacen, há cerca de 150 mil caixas eletrônicos no país. Mais de 12 mil deles com o sistema antifurto. Até o momento, as ações criminosas deixaram 75 mil notas manchadas.

Desde o início da vigência do mecanismo nos caixas eletrônicos não houve arrombamentos no Vale que conta com máquinas equipadas com a tinta. A análise dos números de série das cédulas apreendidas ajudará a localizar os criminosos.