Onda de frio surpreende o hemisfério norte

Notícia

Onda de frio surpreende o hemisfério norte

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Embora cientistas considerem 2010 como o ano mais quente da década e um dos três mais quentes do século, uma nevasca incomum cancela voos na Europa poucos dias antes do início do inverno no hemisfério norte. Viagens de aviões, trens e automóveis foram prejudicadas pouco antes do feriado de Natal.inverno

Em matéria publicada no site da revista Time, Judah Cohen, diretor da empresa de pesquisas ambientais ERA, afirma que o aumento na cobertura de neve na Sibéria pode ser o responsável pelo inverno extremo na Europa. Dados mostram que este é o dezembro na Europa com a maior quantidade de neve desde 1910. A temperatura do fim de semana de Natal esteve próxima aos -20°C.

Três gaúchos da região dos Vales passam o inverno em Tübingen, localizada 30 quilômetros ao sul de Stuttgart, na Alemanha. São eles: o doutorando em Educação Física de Santa Clara do Sul, Ricardo Richter; o doutorando em Filosofia, Diego Carlos Zanella, do Vale do Rio Pardo; e o intercambista do curso de Jornalismo da Univates, Cristiano Wildner, de Venâncio Aires. Todos estudam na niversidade de Uni-Tübingen.

Wildner relata que a semana começou com temperaturas consideradas mais amenas, entre -5°C e -2°C. “Para a virada de ano os meteorologistas preveem uma nova nevasca, o que deve gerar caos principalmente nos aeroportos”, conta.

Richter diz que uma das maiores dificuldades que vem com a neve se relaciona ao uso da bicicleta – o principal meio de locomoção dos estudantes na cidade universitária. Com o derretimento da neve alguns trechos das ciclovias ficam muito escorregadios. “Isto exige habilidade para se manter sobre a bicicleta”, conta.

Zanella diz que apesar da dificuldade que se tem para sair de casa e da necessidade do uso de grande quantidade de roupa, a vida segue normalmente. Segundo ele, em qualquer estabelecimento comercial ou mesmo no ônibus há calefação.

Caos nos aeroportos atrasa modelos

Ilani Mallmann, mãe das modelos Shirley e Veridiana Mallman, conta que na terça-feira, as filhas tiveram problemas com o voo de Nova York para São Paulo que partiu com três horas de atraso. “Elas foram ao aeroporto sem muita esperança de conseguir embarcar. Mas, deu certo”, conta. No entanto, o atraso comprometeu o embarque no voo a Porto Alegre e só no fim da tarde de ontem, elas chegaram na capital gaúcha. Elas foram pegas pela irmã Ana Paula e vieram para a região onde comemoram com a família o Natal com o Réveillon. A seguir, as jovens rumam para o litoral gaúcho e aproveitam as férias de verão longe da onda de frio e do caos nos aeroportos do hemisfério norte. A mãe conta que em conversas via computador pode conferir da janela do apartamento de Shirley,com o auxílio da webcam, a neve que se acumulava na cidade. A modelo revelou que este é o inverno mais intenso que passou em sua trajetória fora do país.

Ele viu a neve pela primeira vez

Zanella passa o segundo inverno no país e afirma nunca tinha visto tanta neve. “No começo a sensação é estranha, pois do lado de fora a temperatura é negativa e dentro de casa devido à calefação posso ficar de camiseta e bermuda”, relata.

Há um mês, Wildner viu a neve pela primeira vez. Ele conta que suas primeiras experiências foram engraçadas. Além de tombos e resfriados ele fez dois bonecos e brincou de “guerrinha de neve” com os colegas universitários. “Dizem que o sol da Alemanhaé como luz de geladeira, por mais que ilumine não esquenta de verdade”, brinca.

O intercambista diz ter descoberto que a neve não é tão fofa quanto parece nos filmes. Quando cai dentro da roupa e entra em contato com a pele, ela imediatamente derrete, deixando o corpo gelado e molhado. No entanto, Wildner diz que comprovou a veracidade de que era possível gelar a cerveja simplesmente colocando-a do lado de fora da janela.