Criminoso está prestes a ser descoberto

Notícia

Criminoso está prestes a ser descoberto

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A fraude no Sistema de Infrações de Trânsito (SIT) do Departa­mento Estadual de Trânsito (Detran-RS) investigada pela Polícia Civil desde setembro poderá ser concluída nos pró­ximos dias. O delegado João Antônio Peixoto aguarda lau­do que identificará o endereço eletrônico do fraudador.

delegadoAté agora mais de 60 pessoas foram ouvidas no inquérito policial. Na se­mana passada, um mandado de busca foi cumprido no descoberto escritório de um despachan­te suspeito de participação, na rua Coronel Müssnich, no Centro. Computadores e outros documentos para análise foram apreendidos.

Conforme o delegado, os de­poimentos revelaram a forma na qual funcionava o esquema, mas não foi possível identificar a última pessoa envolvida – a que tinha acesso às senhas mu­nicipais e cometia o crime.

O delegado relata que es­tão envolvidos no crime uma cabeleireira, um despachante, um fabricante de placas e um funcionário de uma transpor­tadora. Os quatro recebiam os pedidos e os repassavam para um quinto participante anular as multas.

A polícia acredita que o criminoso tenha ligação direta com a administração munici­pal, visto que só assim teria como burlar o conteúdo. A principal suspeita é de um ex-servidor público que tinha acesso as senhas.

Lembre como começou o caso

Em agosto, a administra­ção municipal descobriu em sindicância que pessoas eli­minaram multas de veículos e pontos da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Elas eram excluídas do sistema desde fevereiro de 2008. E desde então, 57 pessoas – incluindo em­presários e advogados de Estrela – foram beneficiados. As infrações são de lomba­das eletrônicas e autuações aplicadas pela Brigada Militar (BM) do município.

Os envolvidos serão pro­cessados por inserção de dados falsos no sistema, uso de dados públicos e corrupção ativa e passiva. O crime acarreta dois a 12 anos de prisão.

Desde início se suspeita que um ex-servidor público esteja envolvido. Hoje, ape­nas o diretor de Departa­mento de Trânsito Municipal (Detram) e mais um servidor têm acesso à senha do sis­tema.

Peixoto explica que as multas eram lançadas no sistema como julgadas pela Junta Administrativa de Re­cursos de Infrações (Jari). A mais baixa é de R$ 85 e a mais alta R$ 950.

Acompanhe
nossas
redes sociais