Comércio seleciona funcionários temporários

Notícia

Comércio seleciona funcionários temporários

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A contratação de fun­cionários temporá­rios no comércio visa atender ao tra­dicional aumento da demanda nos meses de fim do ano. A temporada de busca pela mão de obra, normalmente, inicia-se no fim de outubro, e as con­tratações dos mais talentosos são efetivadas, após o período de treinamento e experiência na função que se estende até meados de novembro.

A Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis de Trabalho Temporário (Asserttem) divul­gou em nota à imprensa que o setor espera a contratação de temporários será 11% superior ao valor verificado nos últimos Natais. De acordo com a pro­jeção, 26% dos contratados correspondem a pessoas em busca do primeiro emprego na faixa entre 18 e 39 anos.

comercioNo Vale, a Câmara dos Di­retores Lojistas (CDL) prevê que mais de 600 vagas sejam oferecidas em decorrência da proximidade do Natal que é considerado a época de “su­persafra” para o setor. Entre as vagas oferecidas destacam-se as de vendedores, crediaristas e outras funções relaciona­das ao atendimento ao público. No estado, a projeção da entidade é que o número de vagas na indústria e no comércio aumente 17% nos próximos meses.

Para quem busca o emprego ou mão de obra diversas entidades do Vale contam com um banco de dados com vários perfis de interessados. Entre elas, o Sistema Nacional de Emprego (Sine) e o Sindilojas Vale do Taquari. Alexandre Bruxel, agente de recrutamento do Sine Lajeado, diz que para ter vaga garantida nesse setor, qualificação, perfil comuni­cativo e força de vontade são pré-requisitos indispensáveis. “Durante o resto do ano, a indústria lidera a procura pela mão de obra”, afirma Bruxel.

Uma loja de móveis e ele­trodomésticos localizada no centro de Lajeado antecipou em um mês e meio as contrata­ções para suprir a demanda do fim de ano. Foram preenchidas duas vagas para vendedores, uma para montador e uma para cobranças. No ano passado, o vendedor Cleimar Denes voltou ao trabalho, após ter se afastado por motivos pessoais. “No fim do ano passado, apro­veitando o período de aumento da demanda no setor, ele teve a oportunidade de recuperar meu emprego.”

Segundo ele, neste ano fo­ram efetivadas dois emprega­dos temporários contratados no ano passado, e a equipe de vendas passou de cinco para sete pessoas. “Agora estamos em nove, e de acordo com a decisão dos proprietários, há possibilidade de efetivação dos novos colegas”, diz.

Verenice Scheffler e An­derson Vargas há um mês e meio são companheiros de trabalho de Bruxel. Ele, sem experiência na função, foi contratado por intermédio de uma agência de empregos, e ela que teve empregos anteriores no setor lojista foi indicada para a vaga.

Ambos se dizem felizes com a oportunidade e espe­ram que de temporária a vaga se torne um trabalho a longo prazo. “Sem dúvida esse é o melhor momento de mos­trar competência e esforço para garantir a efetivação”, aconselha.

Qualificação é fundamental

Quem busca uma vaga no mercado precisa mostrar competência antes mesmo de começar a atuar no cargo pretendido. Para tanto, nada melhor do que buscar qualificação. Rejane Letori, gerente executiva da Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil), afirma que com o mercado esperando um crescimento de 7% fica mais fácil conseguir uma vaga temporária na iniciativa privada.

Segundo ela, a instituição realiza triagens de pessoas que buscam emprego em entrevistas que determina o perfil e as aspirações dos interessados e torna mais fácil indicar essa mão de obra às em­presas. A iniciativa chama-se Banco de Talentos, e os currículos permanecem ativos por um ano até que seja necessária a renovação dos dados.

Segundo Rejane, há vagas, mas falta capacitação para ocupá-las. Sete delas aguardam pessoas com treinamento específico no momento e 70 donos de currículos, na maioria mulheres, aguardam uma oportunidade.

No ano passado, seis pessoas encaminhadas pela Acil foram efetivadas, e a expectativa para 2010 é ampliar esse resultado. Para quem quer aprimorar o currículo, Rejane recomenda cursos de instituições como a Univates, Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), CDL, Microlins, entre outras.

Cursos do Senac para o comércio

Vendas no Varejo – 90h

Atendimento ao Cliente – 12h

Auxiliar Administrativo – 160h

Auxiliar de Tesouraria – 160h

Rescisões Trabalhista – 20h

RH Estratégico – 60h

Matemática Financeira com uso de HP – 20h

Recepção e Atendimento telefônico – 15h

Técnicas de Vendas – 36h

Dicção, Desinibição e Oratória – 30h

Informática Básica Compacta – 72h

Montagem e Manutenção – 216h

Excel Avançado – 30h

Acompanhe
nossas
redes sociais